Páginas

quarta-feira, dezembro 12, 2012

Carta para M.




Querido M.,
Estou escutando Roberto Carlos desde cedo. Porque gosto, porque estou me sentindo tão esquisita e ele me acolhe. Eu sei que você saberia me abraçar no silêncio dos teus olhos imensos de afeto e que veria além do que eu gostaria de dizer e não consigo. Você, querido M., entende o meu cansaço. E eu estou me sentindo assim: tão cansada. Eu sinto que hoje eu gostaria de gostar das coisas de outro jeito, de lidar com a vida de outra forma, de me comunicar com as pessoas de outra maneira. É uma falta de pertencimento muito esporádico, mas intenso. Parece, M., que sou dos Outros, que estou para todos, que me divorciei das minhas vontades ou que elas não me beneficiam mais. E me guardei muito pouco quando desatei a espargir palavras e mais palavras com avidez e pouca acidez. Talvez eu esteja tão ácida quanto preciso, mas sem saber exercer isto. Você, querido M., entenderia o que eu digo.
Querido M., ontem eu observei as coisas com amor e fui me desencantando pouco a pouco. Tentei segurar com força o resto do sentimento, mas ele foi embora mais rápido do que a vontade que tive de retê-lo. Como é triste, a priori, perder a ilusão de certas belezas. Talvez este momento seja tão precioso, necessário e caiba na exatidão do tamanho do meu aprendizado. Mas eu estou confusa meu querido M. e esta confusão me deixa exausta: como eu gostaria de poder chorar em vez de escrever palavras.
Querido M., a vida segue e eu vou ter de aprender a lidar com este sentimento hoje. Sei que amanhã, o meu olhar será outro. Mas, dificilmente, o que perdi ontem tentarei resgatar. Porque esgotou o tempo e as coisas têm um tempo certo para durar.
M., sei que você pode me sentir agora. E isto me acalma. Sinto sua mão amorosa acariciando meu rosto. Por isso, tenho certeza que o que estou sentindo é apenas algo tão humano. Quanta falta você me faz! E essa saudade de você, finalmente desatou o meu choro preso. Obrigada por me ajudar a sentir. Até mais.


Marla de Queiroz

4 comentários:

Jessica Marques disse...

"como eu gostaria de poder chorar em vez de escrever palavras."

Que lindo desabafo! Chorar às vezes parece tão bom e nos acalma tanto... Chorar limpa os olhos para vermos melhor. Mas, ai de nós, que não sabemos chorar, apenas escrever.

fleur-du-matin.blogspt.com

Ingryd Fraga disse...

Ela me flore. Ela me tranquiliza. Ela me enobrece. Ela transforma. É muito fácil aMar-la.

Jacke disse...

Marl(ind)a de Queir(ida)oz!!!
O meu coração sorri ao te ler.

PERTINHO DOS SONHOS disse...

NÃO TEM COM NÃO "AMARLA" !

http://pertinhodosmeussonhos.blogspot.com.br/