Páginas

sexta-feira, fevereiro 10, 2012

Foice, o tempo.


Foto: Desconheço o autor


Você me pediu perdão como se pudéssemos remover com uma borracha nosso pequeno e trágico passado. Mas eu te perdoei porque não consigo gastar um átimo de segundo da minha existência guardando qualquer sentimento por você. E para te perdoar, precisei perdoar também a mim mesma pela armadilha que criei quando eu estava triste e desorientada demais para achar que você pudesse me dar qualquer tipo de direção e desabei nos seus braços e me deixei levar pelas suas mentiras caudalosas. E você, com sua personalidade nociva e perversa, e por viver tão afundando na ignorância de ser quem é ainda pensou que ser perdoado era um passaporte para qualquer tipo de aproximação. Não. Agora eu tenho sanidade para fazer escolhas certas e não estou mais frágil como antes. O que você me causou e as consequências graves que tive que administrar sozinha, por causa da sua covardia, me fortaleceram de tal forma, que o meu horizonte interno se ampliou no peito e nos olhos e o meu tamanho teve que ser aumentando para comportar tantos aprendizados. Por isso, a pessoa que consegue te perdoar hoje, não é a mesma que você feriu com toda crueldade que eu não sabia ser possível num ser humano considerado socialmente normal. O mal que você tem feito a si mesmo, não é mais problema meu e a minha presença seria um presente dado a alguém que não tem a menor condição de receber o que é bom. Eu poderia ter ajudado você a se lapidar com a minha predisposição para o amor. Mas você, acostumado a viver na escuridão, não soube suportar a minha luz.
Espero que encontre alguma paz se algum dia conseguir e quiser viver dentro da honestidade.
*
*
Marla de Queiroz

20 comentários:

Gaby disse...

Nossa mãe (rs) Leu minha alma é? perfeito, real, intenso...
Era tudo o que eu gostaria de dizer.
:/

Se puder passa lá no meu blog também????

Um beijo no seu coração.

Flavinha disse...

Duas lágrimas quentes cairam do meus olhos,ler o que eu sinto em tuas palavras é sempre mto reconfortante,e ver que as vezes uma situação se parece me da esperança de que afinal o erro não tenha sido tão meu assim...

Júlia Brum disse...

É normal nos culparmos e considerarmos nossa falha qualquer interferência alheia que nos impede de ser feliz. Você aqui disse tudo: " Mas você, acostumado a viver na escuridão, não soube suportar a minha luz." É isso o que precisa ser dito às pessoas que nos tornam infelizes. E fugir da convivência (sem rancor) com pessoas assim que só merecem pena - e nada mais. Parabéns

Desvarios de uma adolescente disse...

Que lindo!

Etiene disse...

as pessoas estão sempre tão perdidas ...

Beijos querida

Um brasileiro disse...

Oi. Estive aqui dando uma olhada. Muito legal. Gostei. Apareça por la. Abraços.

anareis disse...

Querida(o) amiga(o). Estou fazendo uma Campanha de doações pra ajudar os jovens rapazes que estão internados no Centro de Recuperação de Dependentes Químicos onde meu filho está interno também.Lá tem jovens que chegam só com a roupa do corpo,abandonados pela família. Eles precisam de tudo:roupas masculinas,calçados,sabonetes,toalhas,pasta de dentes,escovas de dentes,de um freezer, Roupas de cama,alimentos. O centro de recuperação sobrevive de doações,são mais de 300 homens internos.Eles merecem uma chance. Quem puder me ajudar pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agência 1257-2 Conta 32882-0

Anônimo disse...

Há, há, há...não que alguém tenha me pedido perdão. Seria preciso dignidade, e não é o caso! De qq forma seu texto ainda assim reflete sentimentos genuínos. Saudades Amor.

Anônimo disse...

Sinceramente, eu nao aguento mais esses textos de amores passados, presentes e futuros. Voce tem textos tao bons sobre coisas tao simples. E foi por isso que virei frequentadora assidua. Mas nao gosto de ler lamentos e choramingos de amores mal resolvidos.
Sempre que volto aqui, venho cheia de esperanca de encontrar algo novo e criativo. Mas me embrulha o estomago ler tanta amargura....

Acho que, definitivamente, desisto.

Marla de Queiroz disse...

"Sempre que volto aqui, venho cheia de esperanca de encontrar algo novo e criativo. Mas me embrulha o estomago ler tanta amargura....

Acho que, definitivamente, desisto."

Cara anônima,

Eu só não sinto muito pelo meu blog não superar as suas expectativas porque ele não foi feito para isto. Se vc tem um blog, escreva seus textos de humor ou coisas mais originais. Caso não tenha, procure no google qualquer coisa mais leve e divertida, algo que não esteja encontrando aqui...Mas por favor, respeite o meu espaço (você não precisa visitá-lo), ele é meu e aqui sou eu quem decide o que postar e se vou postar.
De qualquer forma, obrigada pela crítica "tão construtiva", embora quase impositiva...

Da próxima vez, identifique-se por favor! Gosto de chamar as pessoas pelo nome. É mais pessoal.

Bom dia!

Alyne Marques disse...

Gosto de ti Marla!
Pelos 'choramingos' e pelos eternos amores (mal)resolvidos.
Teu blog transmite verdade.

Abraços à ti.
Parabéns!

Ass.: Alyne M.

Alyne Marques disse...

"Leu minha alma é? perfeito, real, intenso...
Era tudo o que eu gostaria de dizer.
:/"


Anham....verdade!!!!! Há 7 anos.

Juliêta Barbosa disse...

Palavras doces como o caramelo se dissolvem na boca e adoçam a nossa vida. Em algum momento todos já provamos... Mas, existem também aquelas que como o fel amargam o nosso paladar e causam tristeza aos nossos dias. Partilhá-las é um dom... Às vezes, salvam vidas!

Obrigada, Marla, pela sua generosidade. Sabê-la tão humana e tão íntegra em suas emoções, confere um valor maior a realidade que nos cerca...

Foice o tempo em que, submissas, precisávamos usar máscaras de felizes para sempre.Bjs

Samara Bassi disse...

Ahhh, foi um aceno que se desprendeu dos cílios, pendurando-se com calma nos vãos enquanto o mundo despencava em minha cabeça. Foi um estranhar constante essa sua mania de nunca estar aqui e ainda assim, se fazer presente como os ontens que penduramos nos varais, secando ao sol, ao sul, qualquer resquício de memória e tentativa impotente de recomeçar.
Coleciono pedregulhos e gravetos fazendo caminhos enquanto cruzo as esquinas que te vi passar.
Um adeus nunca é definitivo quando fecho os olhos e me vem teu sorriso que antes eram como bilhões de sóis juntos.
Sei que a partida possa ser irremediável, mas a esperança é que se tornem sempre que possível, voltas sem ídas.

Marla, é sempre bom e cativante quando nos deparamos com as ditas "almas perfumadas" e aqui, a sua perfumou o tudo e o todo, de tanto (en)canto.

Prazer em conhecê-la.

Abraços, flores e estrelas...
Sam

karina Bichara disse...

Tão bom ler algo que a gente gostaria de dizer, ou escrever, ou, ou.. ainda bem que tem tu Marla!!!!
Bjs

Mayara d`Paula disse...

Eu poderia dizer isso a mesma pessoa que poderia me dizer o mesmo! Cruel, e certeiro!

Ana Carolina disse...

Seus textos são ótimos, excelente.
Está na minha lista de blogs favoritos.

Parabéns pelo blog!
Boa tarde!


Ana Carolina,
http://realezacontemporanea.blogspot.com/

Grazi disse...

Primeira vez aqui e já sei que visitarei mais vezes!! Adorei a escolha da foto junto ao texto!!
Adorei tudo isso!
Parabéns!
XD

Layanne Rezende ★ disse...

Amei, amei, amei!
Sem palavras pra expressar...

Meg Du´Art disse...

Marla, da pra sentir a tua alma ao ler essas palavras, tão fortes, sinceras e repletas de sentimentos. Parabéns pela coragem.

Um abraço na alma.

Merikol