Páginas

quinta-feira, setembro 15, 2011

Visita

Foto: Gilvanna Vasconcelos

Eu sei que não foi você que desarrumou minha vida e fez essa bagunça toda que tive que arrumar gradualmente enquanto cuspia minha raiva, minha dor, mas, por favor, para entrar aqui agora é preciso pés descalços e nenhuma armadura. É por eu não ter deixado de confiar nas pessoas que te peço isso. Não existe tristeza em mais nenhum canto desta casa, tudo foi limpo e adornado com amor, saiba receber esta dádiva. Não quero saber agora o que você traz do seu passado enquanto a água do chá ferve, e também não me pergunte o que me aconteceu para que eu esteja assim, tão direta. É possível que eu te convide pra dormir aqui esta noite ou te mande embora às três da manhã, espero que não se aborreça ou crie expectativas enquanto ponho a erva doce na água quente. Eu não tenho açúcar, empedrou desde que. Enfim, você quer com ou sem adoçante? Não me prometa nada, eu vivo um dia de cada vez, só tenho memória recente. Sobre ontem, pouco lembro, sei que fui dormir e antes conferi se todas as portas estavam trancadas e se eu estava feliz. Também sei que ainda era cedo, e que fazia muito frio. Mas, sim, eu estava feliz.

Vou deixar apenas a luz do abajur acesa, e o seu cd de jazz tocando bem baixinho pra que eu escute como foi seu dia e o que você gosta de ler. Não é que eu não goste de me expor, mas a semana passada já faz muito tempo pra mim. Mas se te interessa saber, meu coração está desocupado e eu gosto quando você me abraça forte. Talvez isto seja o suficiente para que você chegue mais perto de mim e conviva sem se incomodar com o silêncio que eu carrego nos olhos. O que me atraiu em você foi a sua beleza física com esta sensibilidade e inteligência juntas.Mas aprendi a descartar até essas qualidades em um homem se não houver essa nudez de alma. Os inteligentes podem ser muito espertos e cruéis. Os bonitos podem ser uns tolos. E os sensíveis, muito dramáticos. Eu não estou endurecida, só aprendi a observar com certa malícia, preservo minha inocência, mas me arrancaram a ingenuidade à força, disso eu lembro. Não me fizeram mal algum, nada que não houvesse a permissividade da minha carência. A responsabilidade também foi minha. Você está confortável nesta posição? Aprendi a me enroscar num outro corpo como se eu fosse uma extensão dele. Eu gosto de me aninhar no afeto, nasci para ser acariciada antes, durante e depois do sexo. Mas hoje talvez eu queira que você vá pro seu apartamento_ me deu vontade de escrever alguma coisa sobre a sua voz, antes que ela fique no passado.

Se quiser esquecer seu cd, talvez eu te convide pra jantar amanhã. E te leia alguma coisa mais doce que aquele açúcar empedrado. É que eu ainda não esqueci como se escreve o começo de um romance. Só aprendi que o interesse do leitor vai depender da minha primeira frase.

Então eu prefiro que você volte amanhã. É que eu preciso sentir saudade antes de me apaixonar.

*

Marla de Queiroz

33 comentários:

placco araujo disse...

Sempre fico pensando, como és forte com as palavras, és imbatível, desde que elas não sirvam para esconder alguma fragilidade... não que não possa ser, mas que também tem o direito de mostra-la.
um beijo, moça bonita da blusa cor de rosa...

Anônimo disse...

lindo!

NALDOVELHO E A DANÇA DO TEMPO disse...

Muito bom menina! Um punho altamente criativo, com um jeito de escrever singular, excelente!

Camila Carneiro disse...

Quuuue liiindo , parece que deescreveu um momento da minha vida.
;)

Bea disse...

Sem palavras... Me encantou, completamente.

Luana disse...

Lindo, Marla! Todos os dias venho aqui pra fuçar seus textos e saber se escreveu algum novo. Não fique mais tanto tempo sem nos escrever. Faz falta. Grande beijo.

Alice Isa disse...

Gosto muito dos teus textos, sempre passo aqui pra ver as novas postagens e elas sempre me surpreendem!

Sua Lua Particular disse...

Uauuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu! .... sentindo amor e saudade para continur apaixonada e te amar CRESCENTE. Meu amor maio de grande .... Te amo. Obrigada, obrigada ... OBRIGADA!

Valdemar Neto disse...

Profundo e enigmático. Adorei, Marla! Você expressa o quão paradoxal pode ser o nosso íntimo quando a questão é sentimental, em especial.
O impasse, a proposta, a dissolução do açúcar empedrado, a nudez, o dia vindouro.

Kelly Maia disse...

Perfeitamente profundo em mim.

Inspirações disse...

Muito bom! !Senhor, q eu seja com ela (vc) quando crescer... Bjus!

Phelipe disse...

Marla, como sempre você me lê!

Crisneive Silveira disse...

Li esse texto assim que foi publicado neste blog. Numa noite em que eu precisava ser compreendida sem dizer uma palavra, ele veio. E eu me senti toda nele. Foi a Visita mais agradável da minha noite.

Parabéns Marla!

Anônimo disse...

Não passe tanto tempo sem deixar registros nessa página, por favor. Suas carícias em forma de palavras fazem uma falta danada. Está de parabéns pela forma como expressa seus/nossos sentimentos!

Lets disse...

Sempre tão singela! Sempre tão bem descrita!Nunca me canso de ler suas entrelinhas! :O*

Flor com Espinhos disse...

'e conviva sem se incomodar com o silêncio que eu carrego nos olhos...'a história de cada um é mto preciosa...gostei dos seus escritos. voltarei.

Gra Regassini disse...

Ai ai... quando eu me sinto fraca, triste, ou apenas desanimada, eu venho e leio alguma coisa aqui no seu blog, e tudo volta a ser colorido!

Ana Luiza disse...

Maravilhosa... fã incondicional ! bj

Augusto disse...

Lindo texto, nossa, poetista, você me inspira totalmente. Linda!

Aproveita e passa no meu blog:
http://overdoseanalitica.blogspot.com/

Anônimo disse...

Descobrir você foi um dos presentes que recebi hoje...
Parabéns pela deliciosa escrita!
Adorei!
Mariângela Vida

Tahis Vasconcelos disse...

Ain q lindo! Simplesmente perfeito... Adorei!

Rayanne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rayanne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rayanne disse...

Sempre me emciono com suas palavras, sempre!!!

Rielda Alves ☭♥ ­♀ disse...

...mas, por favor, para entrar aqui agora é preciso pés descalços e nenhuma armadura.
Lindo e sincero!

Cartas de Julieta disse...

É, Marla, eu também estou assim: cansada de gastar palavras e tinta para acariciar egos... Bjs

AquilesMarchel disse...

eu em apaixonei oelo seu texto
vi publicado em outro blog ate dei d epresnete a uma amiga
a principio achei que fosse alguem de dificil acesso mas tu tava pertinho
demais...o desenvolvimento do texto é perfeito e puro sentimento..demais mesmo

Cris Menezes disse...

Aprendi com seu texto. Desocupar o coração.
Sua poesia sempre tão verdadeira.
:)

placco araujo disse...

Apesar da minha idade, não me enrijeci e chego a ter lágrimas nos olhos quando alguém tem um gesto de carinho, como tiveste hoje...
Adorei sua visita...

Te gosto e te admiro, viu, moça??

Edson

Lígia Guerra disse...

Marla,

Todas nós mulheres somos profundas porque apesar de mergulharmos nas nossas tristezas, felizmente não nos afogamos nelas.

Beijos Av3ssos, amei tua casa!

Elisabeth disse...

Amooooooo tudo o que escreve...sempre posto algo seu em meu blog http://sentimentosemparticulas.blogspot.com/ ...sucesso sempre, vc é iluminada!!! Beijos!!

J.R. Lima disse...

Caraca!
de deixar a boca seca e os olhos úmidos.
voltarei mais vezes e vezes.

Maemili disse...

Você escreve muito bem,parabéns.