Páginas

terça-feira, agosto 10, 2010

esta ausência



Há vontade de escrever nestes dias frios e intensos. E eu me ofereço a página em branco após tantos filmes e músicas, sensações e histórias. Fico agoniada, ansiosa, presente. A palavra me olha nos olhos e me diz calma, fugidia e imensa: há muita poesia guardada na paciência.
Espero.
*
*
Marla de Queiroz

P.S.: Sigam-me no twitter, facebook, (orkut tá lotado)...vezenquando eu dou notícias por lá.
Fico ansiosa pra escrever aqui, mas às vezes não domino, fico só na querência. Eu adoraria escrever assim: por pura displicência.
Obrigada sempre!

18 comentários:

Rose Araujo disse...

Pode deixar, aguardaremos suas palavras. Se tiver curiosidade tem uma poesia minha no meu blog. Ficaria feliz se aparecesse por lá.

bjos

:)

Amanda Proetti disse...

Marlinha, meu amor, escreves quando respiras!!! Amo TUA palavra!!!

Camila Duarte disse...

Anciosa para as próximas palavras!
Sei que elas já surgiram em seus pensamentos.
Beijos

Bárbara Guimarães disse...

Tão simples e tão bem escrito.. *-*

Lou Albergaria disse...

Adorei! Você escreve com uma sutileza invejável. Em poucas palavras, uma infinidade de imagens e sentimentos.

Parabéns!

Quanto a escrever por negligência, acho que sou um pouco assim...

Preciso descobrir a arte da paciência...

Beijo grande!

Um prazer ter conhecido teu blog!

C. Mantovani disse...

Olá...td bem?
tenho visitado seu blog, e estou seguindo...acesse meu blog, me siga tbem...me ajuda a divulgar?beijão, valeu...C.Mantovani

http://www.falarfrancamente.blogspot.com/

Laércio Neto disse...

É realmente chato esperar que a palavra chegue para conseguir transformar em letras a vontade que inquieta vaga em nós, não é ?
Irrevogavelmente chato... Passo por isso às vezes...
Esperaremos !

Laércio Neto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Priscila Rôde disse...

Espero junto! :)

Um beijo, Flor.

Crisneive Silveira disse...

Não tenho mais o que comentar... Você é poesia.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

DE CERTA AÇÃO

Um dia, tolamente, achei só eu percebesse, à noite, os pensamentos dos que dormem, dormem com eles; ao passo que os meus aí é que acordam. E lhes sobra espaço, bem mais espaço. E, sente em mim, à noite, é que eu desperto. Aí o pensamento é mais agudo e amplo e o olhar mais vasto e pleno naquilo que é capaz de contemplar e o coração mais livre.

Francisco de Sousa Vieira Filho

Guará Matos disse...

Cheguei na simplicidade da poesia que faz bem. A displicência é deliciosa.

Bjs
____
Twitter: @GuararemaMatos
Facebook: Guará Matos (astrallus10@hotmail.com)
Blog: Já esta no comentário.

Tica disse...

Tenho essa sensção em muitos momentos e a imensidão encontrada em uma página em branco me alivia, por poder ser o que eu quiser.

Cristiane disse...

Marla, vi um comentário da Lya Luft sobre novas escritoras e já estou aqui! Seguindo-te! Adorei seus escritos.Esperarei tbm pelas novidades! Bjs, muita luz!

Iggor disse...

Maravilha, Marla. Gostei muito dos textos. Valeu a pena conhecer seu blog.

Anônimo disse...

Marla... não se desanime de escrever suas palavras faz pra nós leitores um dia mais bonito...!

jefhcardoso disse...

*Entre o sonho e a realidade eu prefiro a realidade que me permita sonhar. http://jefhcardoso.blogspot.com

Domingas Alvim disse...

Para um escritor, a página em branco É o mundo...

Passei pra dizer oi e pra me respingar um pouco das suas letras... Qdo puder, se respingue nas minhas... www.doalvim.blogspot.com
Abçs e Parabéns!