Páginas

sexta-feira, abril 09, 2010

Um texto (pro)lixo



Eu não tenho como não me manifestar sobre a tragédia no Rio de Janeiro.


Este texto está sendo tecido pela tristeza. A culpa não é da chuva intensa, a culpa não é do vento violento, nem da gigantesca ressaca do mar. A Natureza cumpre o seu movimento, a sua Dança, mas muita gente ainda não sabe que somos uma extensão desta Natureza.

Morando há sete anos no Rio de Janeiro, tive a oportunidade de ver um sofá boiando na praia de Ipanema. Hoje, com a ressaca espetacular do mar, tudo que se vê é um mar engasgado cuspindo lixo, sufocado pelo que ele engole nas praias diariamente. É tanto plástico, tanta guimba de cigarro, tanto pacote de salgado, garrafas pet, sapatos,caixas de isopor. Nada mais natural que essa varredura da chuva, do vento. É como se a Natureza resolvesse fazer uma faxina há muito protelada, adiada.

Pessoas terem perdido suas casas, seus familiares, não é por culpa da chuva. A chuva é um fenômeno natural, assim como é natural que uma base sem solidez construída sem a menor infraestrutura num terreno condenado, despenque. Mas quem não tem condições de morar em um lugar melhor que o lixão, jamais terá noções suficientes de engenharia e arquitetura.

Mapeamentos sobre essas áreas de risco foram feitos há anos e já estão desatualizados. Nada foi feito com este estudo. Nada foi feito para prevenir esta e outras tragédias. E o que escuto é que nunca houve chuva tão intensa, tão violenta, que nenhum plano de emergência poderia detê-la.

Na zona sul, houve um alagamento que parou por uma noite um dia inteiro a cidade toda! Ninguém deveria sair de casa e assim foi feito. Na noite anterior, algumas pessoas demoraram até 15 horas pra fazer um percurso que faziam em 20 minutos.Bueiros transbordavam tanto lixo e esgoto, os bairros mais nobres da zona sul absolutamente submersos.O caos como nunca visto.O caos provocado pelo lixo.

Muitas pessoas que moram em bairros nobres da zona sul e têm toda a informação necessária pra ter um mínimo de consciência ecológica ainda levantam a bunda de suas cadeiras após um dia lindo de praia e deixam lá os seus porcos vestígios de toda espécie. Como se a praia fosse autolimpante ou que os garis pudessem chegar sempre a tempo antes da maré subir e engolir tudo. Como pedir pra essas pessoas (que pra não morar na rua levantam suas casas em lugares de risco sem a menor estrutura de saneamento básico) que tenham consciência ecológica? Elas moram no próprio lixo! Isso deveria ser matéria obrigatória na escola: Educação Ambiental e Ecologia Humana. Não precisaríamos chegar a este ponto. O Rio de Janeiro e vários Estados estão na UTI! E as tragédias, muitas vezes anunciadas, se cumprem sucessivamente. O mundo está à deriva e a sociedade é vítima de si mesma. Não fosse o alagamento de bairros nobres aqui do Rio, talvez não fizessem tanto estardalhaço na mídia.Na zona sul, pessoas perdem, no mínimo, seu tempo dentro de um engarrafamento e, no máximo, seus carros que serão ressarcidos pelos seus seguros, quando engolidos pela enchente.Mas logo podem voltar pra suas casas confortáveis e assistir ao desespero de pobres pela TV enquanto jantam depois de um banho quente. Entre uma notícia e outra, tanto dinheiro desviado, tanto ladrão sendo reeleito, tanto blábláblá nojento. E as pessoas da comunidade, depois de resgatar o corpo de um familiar, ainda encontram forças pra ajudar a encontrar a família do vizinho...guardando sua dor pra sofrer depois, quando tiverem tempo de viver seu desespero em suas doses cavalares.

É claro que os fenômenos naturais estão surpreendendo! É claro que o Planeta está em crise! Há uns meses em Copenhague, tantas autoridades foram discutir o Aquecimento Global e nada foi resolvido! Como se tivéssemos tempo pra pensar nisto com calma.Os fatos são óbvios, não se pode adiar mais. Não adianta investir em modernização enquanto não se trabalhar as questões mais básicas de sobrevivência das pessoas. Crianças nascem e morrem prematuramente em lixões.São criadas nestas condições e provavelmente vão repetir o padrão.Até que uma geração inteira seja soterrada. E os políticos consigam exterminar da planilha de investimentos toda essa parte “chata e complexa e difícil” de remover de suas candidaturas. O que entristece, além de tudo, é que todo o dinheiro que será investido agora para tentar recuperar alguma dignidade pra essas pessoas, poderia ter sido usado antes, num projeto de prevenção, levando essas pessoas para um lugar em que elas pudessem pelo menos sobreviver em paz.Agora, muitas serão removidas como entulhos, porque até a esperança morreu com elas. Mas para eles, a culpa ainda é da chuva.

*

*

Marla de Queiroz


P.S.: Ainda tenho exemplares do meu livro pra vender.

14 comentários:

Anna disse...

Isso aí Marla! Falou e disse!
Beijocas!

Angel disse...

Senti um misto de tristeza, revolta, impotência, culpa... mesmo estando a mais de mil quilômetros desta cidade. Queria que todos lessem este texto, que todos pensassem como você, que cada um fizesse a sua parte, começando pelo papel jogado na rua, passando pela economia de água, energia, petróleo, terminando por sair um pouquinho da casa quente e confortável e descobrir o que há lá fora, e fazer algo por isso.

Seu texto é perfeito, disse tudo que eu gostaria de dizer, mas com a propriedade de quem mora e conhece a cidade e seus moradores, e de quem é uma excelente escritora. Parabéns!

Abraços.

Anônimo disse...

isso ai , amada!!!
assino embaixo...
Amo amo além....
Borboleta verde!!!

L. Rafael Nolli disse...

Marla, estamos aqui, de longe, acompanhando perplexos essa tragédia. Uma situação delicada. Abraços.

Rio de Janeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rio de Janeiro disse...

or, ADOREI o texto! É isso mesmo. Nós, cariocas,precisamos nos movimentar de alguma forma. E, botar a boca no trombone, é um ótimo começo!

Renata (impermeável a) disse...

Bem, só acredito no aquecimento global como alerta para que o GLOBAL seje levado para dentro das nossas casas. As pessoas discutem o clichê do aquecimento global como algo distante do que acontece dentro das suas casas: que se dane as leis, que se dane o lixo, que se dane o consumismo, que se dane as crianças INSUPORTÁVEIS que estão criando....o importante é a porra do aquecimento global!
As fenomenos naturais sempre aconteceram como vc disse, SEMPRE , a diferença é que agora o mundo é mais habitato e o sofrimento das pessoas é procurado por jornalistas como urubus por carniças.
Se fosse a 2 semanas atrás ficaria ainda mais revoltada em achar que enquanto o CHORUME brotava do quintal das casas (o mesmo que as crianças deviam brincar) pessoas assistiam vidradras o BBB!Isto sim é digno as discussões em bares, em rodas de amigos e nos lares em volta da mesa E NÃO suas situaçoes indignas de vida! Sim, é melhor comprar novas televisões para assistir o BBB, que colocar os filhos em cursos, em escolas melhores, investir em EDUCAÇAO.
Já fui comunista, petista, e todos os istas possíveis. Agora sou realista! As coisas melhoraram muito nos ultimos anos, tá na hora de parar de passar a mão na cabeça das pessoas e achar que POBRES precisam........ Sim, os pobres precisam saber que nesta vida é necessário DIGNIDADE para se viver!Que um pouco de ORGULHO nao faz mal a ninguem.....
Se os POBRES mudarem tambem o rumo do que pensam sobre dignidade, votariam melhor, cobrariam mais dos seus governantes.....escolheriam em vez de comprar tinta para o cabelo para as maes com a bolsa escola, comprarem livros para os filhos.
É sim, necessário dividir parcela de culpa! E no presente momento é necessário dividir a culpa com TODOS, CHEGA de passar a mão na cabeça, to cansada deste discurso!
Nós POVO BRASILEIRO dEvemos e temos que tomar as rédeas das nossas vidas e parar de achar que a chuva é culpa DO PEIDO DOS AMERICANOS... ou que morar em cima do LIXÃO é culpa do prefeito que eu mesmo elegi com a mesma paixão que o campeão do BBB!
De tudo isto........ fica a imagem da CLASSE MÉDIA BURRA CARIOCA, nas ruas exigindo o dinheiro do petróleo para o RIO...........

RAcionalmente, via o morro caindo na boca das pessoas que queriam a grana do petróleo PARA QUE?????????????????????????????????????????????????
Para AUMENTAR A BUNDA DAS MULHERES DOS POLÍTICOS CARIOCAS???????

Bela disse...

Adorei seu texto!tb moro no rio de janeiro e fiquei mto abalada c tudo isso!

escrever é uma forma de denuncia!parabens pelo blog!

virei seguidora!

bjs,

Isabela

http://nablogoesfera.blogspot.com

Sr. Reticente disse...

Faz um bom tempo que a culpa é quase toda da natureza... humana!

Elayne Nogueira disse...

Abalada totalmente!!!

Todos deveriam ler isto!!

Livia disse...

Fiquei muito triste... Agora é fazer o que está ao nosso alcance. Não vamos deixar de ajudar. Essa é a atitude que se espera do carioca, do brasileiro.

Fernanda disse...

Brasileiro não tem a cultura de prevenção. Isso que você falou no final é bem verdade - agora vai ser aplicado um dinheiro nas famílais que foram devastadas pela situação enquanto muitas vidas e muita tragédia poderia ter sido poupada.

Um beijo!

Bordunga disse...

Acabo de tronar-me sua seguidora. Enviei-lhe um e-mail e não sei se vc o recebeu, pelo menos não teve tempo de responder. Independente, fiz um blog tb e quero convidá-la a visitá-lo.

Abraço,
Bianca

Juliana Pestana disse...

Precisamos agir para ajudar. Vamos?