Páginas

quinta-feira, abril 15, 2010

Sobre plágios




Quando alguém se apropria de um texto sem dar os créditos ao autor, essa pessoa se apropria de um momento, de uma história que a inspirou, da oscilação dos sentimentos, de trocas íntimas.Ela se apropria de uma transa, de um abraço, de uma vitória, de uma dor, de uma cura e de horas que foram dedicadas à elaboração daquilo. Ela se apropria de uma lembrança, de uma saudade, de uma angústia, de uma solidão, de um talento. Ela se apropria de algo que pode exemplificar exatamente o que ela queria dizer, mas que teria dito de outra forma.Ela não escreve uma história, ela escreve uma farsa.

Por mais que um texto meu pareça fluido ou que eu tenha “facilidade” em escrever, este é um ato solitário e de muita entrega. As palavras são temperamentais e, muitas vezes, arredias. Seduzi-las será sempre um desafio. Compartilhar um texto é um ato de generosidade, porque se compartilha, antes de tudo, uma nudez. E é essa honestidade que tantas vezes desanuvia o coração de alguém que descobriu que não está passando pela mesma situação sozinho. Compartilhar é uma forma de dar calor, de segurar a mão, de fazer um afago, de pedir colo. Por mais simples que seja um texto, ele sempre é fruto de muita leitura, estudo, autoconhecimento, conversa, observação e trabalho. Por isso, o autor merece respeito e consideração. Talvez algumas pessoas não saibam, mas textos são como filhos que a gente solta no mundo, mas todos eles têm uma certidão de nascimento, uma identidade, uma digital.E serão reconhecidos mesmo que desfigurados, porque têm DNA.

*

*

Marla de Queiroz

*

*

P.S.: Esse texto foi escrito porque uma menina, já acusada de plágio por outra blogueira, faz um mosaico dos meus textos e os assina, sem me dar crédito ou dizer que é uma adaptação, só publica comentários aprovados por ela e, os elogios que recebe, por algo que não é dela, agradece: ao menos é educada! rsrsrsrsr. Enfim, eis aqui a inspiração do texto:

http://quasetudoquasenadaa.blogspot.com/ (Ela excluiu o blog)

(Tenham muito cuidado com isso. É desanimador para um escritor ter seu trabalho roubado. Mas uma honra tê-lo divulgado em blogs e e-mails e orkuts com seus devidos créditos. É por isso que não protejo os meus textos: para que possam copiá-los na íntegra.)
P.S.: Aproveito pra dizer que vou viajar por uns dias e espero voltar com tantas novidades e textos leves e líricos. E que peguei mais exemplares do meu livro, mas não estou conseguindo responder com imediatismo a todos os e-mails. Obrigada por tanto!

32 comentários:

Giuliana disse...

Fui até o referido perfil e sabe o que torna essa "feiúra" (plágio) tragicômico? No perfil está "Eu acredito em profundidades...MAIS estou adiando...".
By the way, adoro o que vc escreve, lindo demais. Parabéns!
Namastê...

Giane Luccas disse...

Lindo o texto! Incrível tua generosidade com o leitor até num momento tão indignador! Nada mais justo que comparar um texto a um filho, até porque, provo dos dois desafios todos os dias:ser mãe e escrever.
Amo o que você escreve e acredite, podemos sim perceber teu trabalho de lapidação em cada linha que segue.
Abraços e apoio, Giane

Lets disse...

Que lamentável isso! Muita falta de criatividade , personalidade e acima de tudo de respeito!
Mas enquanto existirem pessoas como você e como nós... seu trabalho será teu e parte de nós...sempre profundo, sempre verdadeiro, sempre tocante e melhor sempre único e essa suas alma que se revela em palavras plágio nenhum é capaz de copiar! Sucesso sempre moça.Beijos

Giuliana disse...

Tá lá no blog. Esqueci de te dizer que adorei o morango assim meio lilássssssssss...bjsssssss

Sabiana disse...

Marla,

Li em algum lugar que 'a cópia é o elogio dos fracos'.

Eu considero uma afronta alguém pegar algo que não é seu e pior que isso, é agir como se fosse.

Não consegui acessar o tal blog...

* _ Pri CastRo _ * disse...

Querida Marla:
Estou por aqui faz pouco tempo e amooooo este blog e a maneira que escreve!

Me aventuro tbm nesse delicioso universo e acho ridiculo alguem se apoderar dessa forma de um texto alheio. Nossos filhos sim, pq as vezes dão tanto trabalho quanto e doem pra nascer!
Fiz um texto inspirado em um dos seus e tá lá no meu blog que a inspiração veio da das palavras da Marla...
Só rouba palavras dos outros aquele que não sabe domar as suas!

Vc é ma-ra-vi-lho-sa!
Passa aki:
www.prikastro.blogspot.com
Não sou profissional ainda, mas estou tentando...Rs!

Grande abraço!

Renata Brito disse...

Marla,

As vezes eu copio uma frase sua inspiradora e coloco no meu facebook. Mas eu sempre cito você.

Acho plágio o fim mesmo.. lamentável!

beijocas e sucesso,

Leonardo Medeiros disse...

Pois é Marla, tenho blog já faz algum tempo e venho visto inúmeros casos de plágio, sempre denuncio quando vejo, acho um desrespeito com quem escreveu, seja escritor ou não. Um texto é fruto de um momento de quem escreveu, é íntimo, no entanto se torna de todo mundo quando o publicamos, isso quer dizer que, o leitor de identifica, se reconhece, tem empatia e as vezes tem a necessidade de fazê-lo usando as nossas palavras. Sao livres para fazê-las desde que com os devidos créditos, até porque não custa, não é feio, muito pelo contrário, né?

Eu, pretensões a parte, uso sempre o copyscape no meu blog, nunca se sabe onde posso encontrar alguém que pensa exatamente como eu, né?rs

Beijo e sucesso

Leonardo Medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dona Chicosa disse...

Marla,

Que triste não? a forma como você escreve é linda. Deus lhe deu um dom maravilhoso...gostaria eu de tê-lo ganho mas, longe de mim querer usa-lo como meu.
Sempre coloco suas poesias no meu blog e, já indiquei a muitos sobre o seu. É maravilhoso ver transcritos sentimentos que não conseguimos expressar traduzidos em textos poéticos, lindos.

Beijos de luz minha querida.

PROJEÇÃO DE MIM disse...

concordo plenamente...
Oriane
Parabéns pelo blog

Franzinha disse...

Eu sempre coloco os seus pensamentos no meu orkut, mas deixo bem claro que são seus. Inclusive lá tem o link do seu blog.
Adoro!!!!!

Estarei sempre por aqui!!
Beijos...

Thiago disse...

Muito bom!

Beta disse...

Verdade, Marla, isso algumas vezes me aconteceu. Houve uma menina que se sentiu ofendida quando tentei lhe explicar educadamente sobre a necessidade de ela colocar créditos não só nos meus textos mas também em outros que perambulavam em seu site, totalmente desfigurados. Mas acho que não há como evitar de todo que isso aconteça, já que publicando na Internet estamos à mercê disso.
No entanto, tal constatação não deve ser sinal de conformismo ou de aceitação dessa prática. Conscientizar como está fazendo é fundamental.
Um beijo,

~~ Carol Farias ~~ disse...

Nossa que péssimo isso, adoro seus textos e já coloquei lá no blog alguns; porém sempre escrevi que eram seus. Pessoas como essa não merecem credibilidade nenhuma, mas também acho que devem responder judicialmente por seus atos. Só assim aprendem!!!

adriano disse...

esqueça a apropriação
importa só a própria ação

palavras não têm donos
já dizia o drummond
o poeta não respeita a propriedade
vive de furtos poéticos

C. coralina disse...

Adoro tudo que vc escreve, confesso que acabei de fazer um blog e minha inspiração foi vc!rsrs Sempre amei escrever...È meu primeiro comentário,sou virgem(rs)mas espero ainda escrever muito aqui te parabenizando!...Ah em relação ao plágio...espero ainda colocar muitos textos seus no meu blog...mas com seu referido nome abaixo!!!é uma honra!! abraço

C. coralina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Regina Guimarães disse...

Parabéns, encontrei seu blog por acaso, procurando através de um texto que li e queria saber de quem era, tão logo te encontrei me encantei pelas coisas que escreve.

Seus textos são lindos.

O referido texto é um que você fala sobre: Pesadelos.. sobre o livro do sebo.
Acho esse texto simplesmente fantástico em sua simplicidade e verdade. E ele traduz muito do que estou sentindo atualmente.

Beijos.

Késia Maximiano disse...

É até um desrespeito com as nossas experiências, sensações e sentimentos, alguém que plageia as expressões dele!
Mas posso te falar? Só vc pra dar vida a tudo isso com tanta magia viu?
Eu adooooro a tua escrita!
Sou tiete MESMO! rs
Mega beijo, linda!

Anaterra disse...

Eu entendo você... É como se roubassem seus filhos e dissessem que era deles.
Mas eu pego emprestado, eu divulgo, eu muitas vezes sem saber como expressar a minha dor ou a minha alegria venho aqui e encontro as palavras certas para expressar o que estou sentindo! Obrigada por isso.
Ah! Quero um livro seu! Bjs da sua admiradora, Anaterra

Jojô disse...

Muito sutil e oportuno seu post sobre plágio. Concordo que palavras não tem dono, mas histórias sim. Como você disse o que chateia são os momentos roubados, a intimidade deixada de lado e indiferença ao seu talento.
Parabéns pelo blog, tanto pela estética quanto pelos versos.
Há muito tempo que tbm uso esse trecho da Clarice Lispector como inspiração para me auto descrever.
:) Abraços

Anônimo disse...

Vi que vc é amiga dela do blog: http://palcodepalavras.blogspot.com/

e alguem tem feito a mesma coisa com os textos... neste blog: http://nuvenssdealgodao.blogspot.com/

Copia o texto , muda palavra aqui e ali.. e se quer cita a autora.

Anaterra disse...

Ai Marla! Fiquei com lágrimas nos olhos.. pq to tentando me curar de um amor e n tá nada fácil! quero nosso chop e meu livro! bjs

Anônimo disse...

Tem gente que é infeliz demais, tenta ter moral mas não tem nenhuma.

http://kafkiano.blogspot.com/2007_01_01_archive.html

http://minhapoesiasemteunome.blogspot.com/2010/04/debaixo-da-luz.html

lutrevejo@hotmail.com disse...

Marla, é gostoso ler seus textos.
Eu digo sempre que textos são como filhos, e não receber comentários, é como arrumar os filhos para a missa e ninguem elogiá-los. São crias nossas, por isso tem que levar consigo nosso sobrenome. Outro dia uma amiga publicou um texto meu na sua pagina do orkut, e nao citou meu nome. Me senti roubada no mais profundo da minha alma. (Coisa de quem escreve, né) Mas depois conversei com ela, e ela postou meu nome embaixo).
Vou publicar seu texto no meu blog, e sempre que puder, vou joga-lo pro inicio novamente, que é pra lembrar a todos a importância da honestidade. Citarei, óóóbvio, o autor.
Abraços e continue fazendo oque vc faz tão bem e que flui leve e delicioso.

Jeferson Ellwanger disse...

Postei esse texto no meu blog, com os devidos créditos.. :) muito bom!

DANI disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DANI disse...

Adoro o que você escreve e sempre que posso passo por aqui pra ver o que você tem a nos dizer...

Confesso que o "plágio" me deixa muito triste e muitas vezes revoltada...

Isso já aconteceu comigo, esbravejei o máximo que pude, coloquei códigos e mais códigos no meu blog pra evitar a cópia de textos e imagens...

Depois que a minha fúria passou, me dei conta, que a garota que fez isso era realmente só uma garota de 12 anos...

Talvez tenha feito por pura inocência, ou talvez não...

Mas, realmente é uma pena que as pessoas ainda tenham esse tipo de atitude...

Com os devidos créditos vou postar em meu blog esse texto, que eu achei simplesmente o máximo!...

Um grande beijo no seu ♥!...

Dani

♥____ http://nidonda.blogspot.com

Piqui disse...

Marla!

Como tenho aversão a textos apócrifos, criei um tópico na comunidade do Orkut "Afinal, quem é o autor?" com esse texto teu. Na minha opinião, essa comunidade é uma das mais úteis já criadas!

Confiram lá, pessoal:

http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=679171&tid=5540858362780603497&na=4

Um abraço,

kelinecajueiro disse...

suas palavras me encantam sempre!!! e quando utilizo proliferando-as rede a dentro e fora.. sempre indico que foram magicamente proferidas originalmente por ti!! obrigada por isso!! já sua orgulhosa fã! ;)

Uma superfície de gelo ancorada no riso disse...

Perfeita sua abordagem sobre o Plágio. SE me permitir, colocarei uma aba em meu blog com este texto seu, com teus devidos créditos.

Beijo, Marla,
Sam.