Páginas

quarta-feira, fevereiro 10, 2010

A solidão do poeta

Foto: Maria


Então o sol penetrou toda a casa. Se eu quiser dormir até mais tarde, terei que fechar as janelas, as portas, as cortinas, eu que passei a noite inteira acordada. Faz muito calor lá fora, faz muito frio aqui dentro e minhas palavras estão inquietas enquanto olho pro teto, sem caneta, sem papel, sem disposição. Existe uma solidão irremediável no pulso de um poeta. E essa casa não é minha. Não sei se sofro, mas minha cara é de choro contido. O que fizeram comigo enquanto eu dormia, se eu pensava que havia alguma paz no sono? Estou confusa e queria dizer coisas inconvenientes, mas não posso. Que cansaço vem do não dizer o que se quer.
Talvez eu deva esperar e ser positiva. E contar pra vocês depois mais uma de minhas vitórias. Mas estou tão cansada de escutar que poesia não vende com o meu original tão bonito debaixo do braço. E eu só preciso dizer agora: POESIA VENDE SIM! EU COMPRO! E que diga o mesmo quem concorda comigo.
*
*
Marla de Queiroz

P.S.: Blogueiros/ Leitores!Vamos mudar esse mantra negativo de que "poesia não vende!" Escrevam no final de cada post: " Poesia vende, sim! eu compro!" Conto com vocês!

36 comentários:

Ariana disse...

Excelente Marla! Sim, eu também compro Poesias!

Beijão!
Parabéns!

Clauky Boom disse...

Continue amiga, é um movimento. Estamos juntos. POESIA VALE, POESIA VENDE - Imaginei muito o João do Corujão nessa campanha também! EU COMPRO

Leandro Jardim disse...

POESIA VENDE SIM! EU COMPRO!


#tamojunto!

Isabela Dantas disse...

POESIA VENDE SIM! EU SINTO, EU RESPIRO E PAGO POR POESIA. EU COMPRO!

Já tá está lá no blog!

Beijos, amada!

Edri Figueirêdo disse...

Nossa muito legal o seu texto.
E sim poesia vende e eu compro.
Você escreve muito bem, a força do sobrenome deve influir também.. hehe
parabéns!

Hortência Siebra disse...

É, não faz muito tempo que jogo palavras, pensadas ou não, no papel e mesmo depois de um belo elogio vem: "mas tu sabe que isso não enche barriga né?"
É desestimulador, mas temos que provar que "POESIA VENDE SIM! E EU COMPRO!"

[PH]elipe disse...

"POESIA VENDE SIM! E EU COMPRO!"

Uma vez disse a vc q seu talento era tanto q me oprimia, e vc, pra variar, sabiamente, disse-me q um dia teria maturidade pra q o talento alheio e julgado superior não me oprimisse mais, mas me inspirasse...

vc não sabe o orgulho que tenho de me encontrar no que você escreve...

Grande Bjo =)

Thaisinha... disse...

"Poesia vende sim! Eu compro!"

-
Ainda terei minha biblioteca.
Poesiateca é legal!

Tudo que queria te dizer disse...

Bravo!

Amanda disse...

Vende sim e eu compro!!!!!

Eritania Brunoro disse...

Concordo com vc sim!
POESIA VENDE E EU TB COMPRO!

Adorei seu blog. Bjos.

Mix Romano disse...

Oi Marla, vende sim, eu comprei e fiquei ansiosa para o "Flores de Dentro" chegar.

Continue, adoro seus textos, indico e sempre é bem recebido, portanto, espalhe a sua poesia que eu e outras pessoas vamos adorar.

Não dê ouvidos aos "pequenos" ;)

Abraços e já desejando um lindo carnaval.

Mix

Ariana disse...

Marla, a cada dia que passa me apaixono pelas suas palavras, poesias, textos. Em meio a tantas atribulações pessoais pelas quais estou passando, encontro-me refugiada aqui em seu blog, em busca do meu conforto e do meu 'achado' íntimo! Sim, e eu os obtenho!

Parabéns! Continue assim!

"POESIA VENDE, SIM! EU COMPRO!"

Abraços!

Lubi disse...

Poesia vende, sim! Eu compro!

Força, Marla. Continue.

Beijos.

Ana disse...

Ah, mas eu compro meeeesmoo!

FRANK BARROSO disse...

Marla, imprescindível é sua poesia, que brota da energia tênue que reluz a esperança nesse mundo digital. Parabéns. Eu digo "Poesia ven, sim!Eu compro. E comprarei sempre sem pudor"

Uber Expresso disse...

Olá Marla... um dia uma amiga me enviou um e-mail lindo... falei pra ela hoje que postei no meu blog.. aí ela me disse que tinha tirado do seu, que era lindo... Primeiro, me desculpe por ter postado seu texto no meu blog, só hoje que entrei no seu blog e fiquei encantada!!! Te seguirei e te acompanharei com maior honra!!! Beijos Roberta.
E Poesia vende sim!!! Eu compro!!!!

Vaganeio disse...

Poesia vende sim! Eu compro!

juliana disse...

É a primeira vez de milhares que entro em seu blog e fiquei apaixonada pela forma com que vc escreve.
Cara vc é muiiiiiito boa mesmo, muiiiita sorte vc ganho mais um fã.
Pq:

"POESIA VENDE SIM! E EU COMPRO!"

Freddy Charlson disse...

Foi-se a foice o tempo ido da indiferença. Foi-se, íntimo, íntegro, na essência. Foi-se, fundo, findo. E, com ele, o tempo em que o poeta desfazia de si, por si, por outros, o verbo em si: a própria poesia. Ela, nunca dantes pop, do povo, de novo. Apenas para si, de graça, às traças, em mim. Em mi. Menor. Foi-se. No fundo, pois, se desejava-a para todos, paratodos os cardinais, e, também, os colaterais. Sim, de mim pra ti. Assim. À mostra, à escolha. Da escola, qualquer trolha. No mostruário, de graça, à vista. No crediário! O que importa, no fim, é difundir. A metáfora, a rima, qualquer treco. Que tal o soneto, o cordel, outro objeto? Tanto faz. Eu tô vendendo o sonho... de ser poeta. C (tr) ompras?

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alidmaciel disse...

saudades de visitar aqui.. tudo muito "feito pra mim", caindo como uma luva... incrível é a identificação,rs.
Beijos, linda!

Eduardo Tornaghi disse...

Grande Marla
Você mobiliza a rapaziada.

Eduardo Tornaghi disse...

Grande Marla
Você mobiliza a rapaziada.

O2 disse...

Querida!

poesia vende sim! eu compro!

:)

Tudo de bom nesse coração, ás vezes é apenas preciso fazer uma pausa para deixar as palavras voltarem a entrar!

Diario da Fafi disse...

Poesia vende e o povo gosta. Mas está tudo tão errado neste país... Outro dia, um colega de trabalho de 20 e poucos anos me disse: "Eu leio de tudo: código da vinci, Anjos e Demonios, só não gosto desse negócio de poesia. Ah desculpe, esqueci que vc é poeta!!"
Ora, que raio de gente é essa que não gosta de poesia?
Que raio de escolas são essas onde não se aprende poesia, onde não abriga o poetar?
Fica assim nã Marla. Ganhe o dia, sorria.Sou sua leitora ha muitos anos, nunca me arrisquei a comentar, mas vendo sua solidão tão profunda e irmã, me compadeci de nós, poetas do mundo,que seguimos com nossa sina.
Ser poeta é sofrer, já dizia uns desses grandes poetas antigos e esquecidos por todos...
Sigamos na luta.
Poesia vende
Eu compro, e compro muito!
Beijos

Elenita Rodrigues disse...

Marlinha, você me inspira. Acabei de te divulgar no twitter... e POESIA VENDE SIM. EU COMPRO.

Um beijo,
amo seus textos,
amo você.

Thaíse disse...

Lindíssimo texto! Muito 'eu' por assim dizer...
E afirmo: POESIA VENDE SIM! EU COMPRO!
Beijocas

Atreyu disse...

Lindo texto,me lembra um texto que escrevi hoje de madruga na minha janela,com a diferença que la fora estava frio,e dentro de casa quente.Lindas palavras as suas,abraço.

T.P disse...

poesia vende sim! eu compro!

Anônimo disse...

...quando se fala da alma, espanta; a compreensão torna-se subjetiva. Muitos a consomem sem o encargo do escambo; outros (as) a copiam e a transformam como seu, a la Lavoisier; o poete enriquece o espírito alheio, enquanto definha seu corpo, sua alma e o seu bolso!!!

Ainda bem que poesias são vendidas...

Paixão, M. disse...

Ô, se compro, Marlinda! E como compro!

Ânimo, bonita :) Que na verdade o maior favor que a poesia faz e a quem a escreve. A quem não lê, só restam as penas...

Lo siento,
Je sui desolé xD

Beijos!

Rodrigo Scaliante Ariza disse...

Poesia vende, sim! Eu compro.

Anônimo disse...

Eu amo tanto as coisas que vocÊ escreve... Parece que vc está falando comigo. Assim como Caio e Clarice! Quero muito o seu livro! Como faço?
Beijos de quem muito te admira.
Anaterrra

Franzinha disse...

Poesia vende sim e eu tb compro!!!!!!!!!!!!
Viu seu texto no meu perfil?? rsrsrs
lindo!!!

Rener Melo disse...

"Poesia vende, sim! eu compro!"