Páginas

quarta-feira, agosto 19, 2009

Introspecção


Foto: Cristina Afonso



Não basta amor demais nas manhãs da própria existência.Existe uma urgência de praticidade que embota por segundos o romantismo.Como um sol que não propicia mais clareza, apenas uma claridade cega.Da angústia que assalta sem qualquer motivo, como um cólica, a sensação de parir um novo ser que é a si mesmo e a dor da despedida do antigo. Acostumados que estávamos com o conhecido.

Eu te amo , meu amor, e amo mais a mim por isto. Não há perecividade no que digo.Mas há o que escavar na alma que não participa deste par. É processo individual e solitário o de realizar-se antes. Não sei se tão comprido este horizonte pros teus olhos. Descreva-me então qual teu sonho mais bonito.Não há um canto triste nem aquele olhar melancólico.Em minhas palavras o sussurro lascivo se aconchega ao teu ouvido.Embora a leveza seja um trabalho árduo.Eu que nasci tragicamente profunda, agora tendo que aprender a brincar.E a ser adulta. E por te amar é que preciso, às vezes, acolher minha solidão...e silenciar. Mesmo quando sol-lhe-dão.

*


Marla de Queiroz


P.S.: Amores, tenho poucos exemplares do meu livro.Aos interessados em adquiri-lo com dedicatória,

favor mandar e-mail pra mim: marlegria@gmail.com

OBRIGADA SEMPRE!

sexta-feira, agosto 14, 2009

Dando satisfações pelo sumiço...

Foto: mico


Tudo em mim tem sido esta vontade de afagar. Há tempos não me ocupo com outra coisa: em tudo que toco ou manuseio há o propósito de cura através do calor das minhas mãos. Tudo em mim tem sido a necessidade de vivenciar profundamente. Se as palavras têm estado ausentes, aceito este recolhimento delas. E espero que voltem com um coração pulsando muito vivo dentro de cada uma. Por isso a vontade de experienciar cada sensação plenamente antes de tentar decifrar organizando em textos o que tenho sentido. Dentro dessa minha desaceleração, tenho descoberto muita coisa como, por exemplo, quão necessário é saber receber amor.Deixar que tudo seja troca antes de ser um troféu. Deixar que o caos se mantenha intacto antes que haja ajustes. Ando muito comprometida com as essências.E com um respeito súbito, a partir daí, pelas aparências.Não vejo menores importâncias, vejo acontecimentos.E tenho olhado pras coisas sem aquela grande gravidade. Tudo em mim tem sido esta disposição para o amor.E ,se vocês pudessem me ver agora, veriam, existe caricia até no meu olhar.

*

*

Marla de Queiroz.

P.S.: Livros com dedicatórias pelo e-mail: marlegria@gmail.com

P.S.2: Por motivo de uma força maior maravilhosa ando sumida daqui.Morro de saudades de vcs, volto logo!