Páginas

segunda-feira, junho 22, 2009

Quando não poderia ser diferente

Foto: Gonçalo Martins


Não há decisões estabanadas, nenhuma história termina no dia em que ela realmente acaba. Há sempre um desvencilhamento anterior lento, sutil.(Como quando alguém percebe que gradualmente foi perdendo o apetite na hora em que costumava sentir mais fome).Não há aquilo que poderia ser feito de outro jeito. O aprendizado incluía as decepções e os acertos de ambos os lados.E, neste ínterim, os momentos de encontro: dos sonhos, solidões ou prantos.Não há dor que se amenize usando a força momentânea da raiva.Um coração machucado precisa de silêncio e colo, não de berrar aos quatro ventos sua falsa independência. Há ruídos que maculam o que deveria ser preservado.Há que haver gratidão pela lição que vem do que não pode ser mudado. Mas há sempre a possibilidade da transmutação.Numa desilusão, esteja atento: ninguém se perde de si mesmo porque foi abandonado. Por maior que seja a luz, não deixe que a sua sombra o encubra só porque um ciclo acabou sem explicações plausíveis.Há sempre alguma coisa nova por nascer e que precisa deste espaço.Há sempre uma história mais bonita adiante.Há sempre uma forma mais saudável de lidar com sua dor. E recriar o seu destino, tentar se harmonizar com as decisões do outro sem trazer para si as incompletudes dele, é uma forma bem mais interessante de sentir amor.
*
*
Marla de Queiroz

P.S.: Meu livro "Flores de Dentro" com dedicatória pelo e-mail: marlegria@gmail.com
Amores da minha vida, OBRIGADA! Tenho recebido os e-mails mais lindos que alguém poderia receber.Este texto é uma influência das várias conversas que tenho tido com pessoas que se abrem comigo, que me confiam coisas íntimas, lindas, dolorosas. Espero que ele se comunique com pelo menos um de vocês.TODA MINHA GRATIDÃO.

sexta-feira, junho 12, 2009

COR-RENTE-TESA


Foto: Bruno Abreu


Ele está em mim
No que sei e no que desconheço
Na palavra que amo, na poesia que esqueço
Num desvario de planos
Num poeminho que teço
Ele está em mim
no que sigo,
no que sou,
no que digo
e onde vou.

Ele está em mim
No que calo e no que faço
Na tarde vazia, na noite que abraço
Na sucessão de enganos
E na certeza de aço
Ele está em mim
no que consigo
no que desisto
no que recrio
no que insisto.

Ele está em mim
Na melodia que ouço
Na ventania que ouso
Num esmiuçar de sonhos
Quando vôo e quando pouso.
Ele está em mim
Com violência e delicadeza
Com paciência e aspereza

Ele está comigo

Na insistência de um mergulho na beleza

mesmo quando sei:

Perigo, correnteza!
*
*
Marla de Queiroz

P.S.: Sejamos urgentes para o amor!Meus livros com dedicatória: marlegria@gmail.com
Não esqueçam de votar no selinho ao lado! Obrigada sempre!

quinta-feira, junho 04, 2009

Minha melhor companhia

Foto: Xã


Ele não sabe mais nada sobre mim.Não sabe que o aperto no meu peito diminuiu, que meu cabelo cresceu, que os meus olhos estão menos melancólicos, mas que tenho estado quieta, calada, concentrada numa vida prática e sem aquela necessidade toda de ser amada. Ele não sabe quantos livros puder ler em algumas semanas.Não sabe quais são meus novos assuntos nem os filmes favoritos.Ele não sabe que a cada dia eu penso menos nele, mas que conservo alguma curiosidade em saber se o seu coração está mais tranqüilo, se seu cabelo mudou, se o seu olhar continua inquieto.Ele nem imagina quanta coisa pude planejar durante esses dias todos e como me isolei pra tentar organizar todos os meus projetos.Ele não sabe quantos amigos desapareceram desde que me desvencilhei da minha vida social intensa.Que tenho sentido mais sono e ainda assim, dormido pouco.Que tenho escrito mais no meu caderno de sonhos.Que aqui faz tanto frio, ele não sabe por mim.Ele não sabe que eu nunca mais me atentei pra saudade. Que simplesmente deixei de pensar em tudo que me parecia instável. Que aprendi a não sobrecarregar meu coração, este órgão tão nobre.Ele não sabe que eu entendi que se eu resolver a minha dor, ainda assim, poderei criar através da dor alheia sem precisar sofrer junto pra conceber um poema de cura.Hoje foi um dia em que percebi quanta coisa em mim mudou e ele não sabe sobre nada disso. Ele não sabe que tenho estado tão só sem a devastadora sensação de me sentir sozinha. Ele não sabe que desde que não compartilhamos mais nada sobre nós, eu tive que me tornar minha melhor companhia: ele nem imagina que foi ele quem me ensinou esta alegria.
*
*
Marla de Queiroz

P.S.: Meu livro "Flores de Dentro" autografado pelo e-mail marlegria@gmail.com
Aos fãs deste blog, votem no selinho à direita! Beijos, amores!
Vocês me revigoram!