Páginas

quarta-feira, agosto 19, 2009

Introspecção


Foto: Cristina Afonso



Não basta amor demais nas manhãs da própria existência.Existe uma urgência de praticidade que embota por segundos o romantismo.Como um sol que não propicia mais clareza, apenas uma claridade cega.Da angústia que assalta sem qualquer motivo, como um cólica, a sensação de parir um novo ser que é a si mesmo e a dor da despedida do antigo. Acostumados que estávamos com o conhecido.

Eu te amo , meu amor, e amo mais a mim por isto. Não há perecividade no que digo.Mas há o que escavar na alma que não participa deste par. É processo individual e solitário o de realizar-se antes. Não sei se tão comprido este horizonte pros teus olhos. Descreva-me então qual teu sonho mais bonito.Não há um canto triste nem aquele olhar melancólico.Em minhas palavras o sussurro lascivo se aconchega ao teu ouvido.Embora a leveza seja um trabalho árduo.Eu que nasci tragicamente profunda, agora tendo que aprender a brincar.E a ser adulta. E por te amar é que preciso, às vezes, acolher minha solidão...e silenciar. Mesmo quando sol-lhe-dão.

*


Marla de Queiroz


P.S.: Amores, tenho poucos exemplares do meu livro.Aos interessados em adquiri-lo com dedicatória,

favor mandar e-mail pra mim: marlegria@gmail.com

OBRIGADA SEMPRE!

11 comentários:

bia disse...

ei Marla... ja te mandei alguns emails
sobre o livro, e nao tive resposta.
quero muito!
um bjo.

Thaisinha... disse...

adoro as suas novas palavras..

rosa_amendola disse...

ansiosa pelaresposta do seu email :)

beijo

Eduk disse...

adorei seu blog... passarei com frequencia. bjos

Josephine disse...

Seria muito interessante acompanhar vc no twitter. Vc ainda não ficou seduzida por esta rede de relacionamentos? Dias desses me vesti de poetisa e escrevi um poema a La Marla de Queiroz. Ficou bem bonitinho. rsrs Um grande abraço.
P.S. Meu blog é impreguinado de seus textos (ADORO), mas nada de plágio!! Tem seu nome lá. Beijos.

Alana Morais disse...

"Embora a leveza seja um trabalho árduo.Eu que nasci tragicamente profunda, agora tendo que aprender a brincar.E a ser adulta"

vc em descreve tão bem. rsrsrs

Paulo Viggu disse...

Desde "Doida" até "Trans-flor-mar-la" acompanho essa moça. Leio tudo dela. Quero o meu livro - Passe no rio e diga-me como fazer para adquirir um exemplar. Há saudade. Beijo aí - Paulo Viggu

V_ Leal disse...

gostei do seu modo de brincar com as palavras

Roberto Borati disse...

desculpe, não tenho palavras ao ler tanta beleza.

continue.

Juliêta Barbosa disse...

Marla,

Saudades de ti! Quando sai um novo livro? Bjs

Ana Vogeley disse...

Impressionante, como ler sua poesia é como um processo inverso: ela que lê nossos sentimentos.
Bom ser abraçada pelas suas palavras.
Beijos