Páginas

sábado, outubro 18, 2008

Resumindo


Foto: Paulo Medeiros

"Era alguma coisa que seria amor ou não seria. Caberia a ela, entre milhares de segundos, dar a leve ênfase de que o amor apenas carecia para ser(...) Um segundo antes ainda poderia não amá-lo. Mas agora, suavemente, vaidosamente: nunca mais. No mesmo instante teve uma sensação de tragédia... E agora era tarde demais_ qualquer que tivesse sido o sentimento gerador, este para sempre se volatilizara. Era tarde demais: a dor ficara na carne como quando a abelha já está longe. A dor, tão reconhecível, ficara. Mas para suportá-la fomos feitos."(Clarice Lispector)


Foice, o tempo.

*

*

Marla de Queiroz

2 comentários:

Katy disse...

Poxa Marla, tu acertou direto em mim.
To afetada pelo sequestro. E to mesmo.

Pedro Arunca disse...

Fica a dor e incógnito destino da "abelha".

Belo, o poético momento.

Bjs