Páginas

sábado, outubro 18, 2008

O que os jornais não noticiaram


Não vou macular essa dureza do concreto com flores.Eu tenho respeito até pelas coisas sem calor, se honestas.Mas é que existe um jeito de adocicar a aridez com afeto.E eu fico olhando pra você e esqueço das notícias do mundo que é tão vasto, mas insistem em dar um foco extremo no que há de trágico nele.Ninguém contou que essa chuva fresca antecipou a exuberância daquela árvore adoentada.Ninguém se preocupou com o diagnóstico real da floresta devastada . Ou se o girassol que andava nublado se sentiu mais seguro aqui em casa.Eu jamais abri um jornal e li: esta página em branco é pra você escrever como gostaria que fosse o seu dia ou pra dizer como se responsabilizará pelo seu mundo.Ou talvez uma manchete simples: Existe um silêncio no mar que também é paisagem. Mas eu olho pra você e me vem tanta ternura que agradeço a esperança porque você é bom e me inspira a ser alguém melhor.Porque eu lembro sempre, quando eu olho pra você, que quando chove sobre o mar, a água doce e a salgada entram numa intimidade máxima.E não é à toa que o soro fisiológico é quase o resultado desse encontro mágico dos dois: um punhado de chuva pra duas pitadas de mar.Foi assim que eu curei nosso girassol.Mas isso, nenhum jornal noticiou.


*
Marla de Queiroz

16 comentários:

[PH]elipe disse...

Poesia boa pra adocicar domingos cinzentos... :)
É como a chuva e a árvore, sua poesia e meu domingo...

Maria Lia disse...

tua poesia acalma meu coração...sempre que tô perdida me encontro aqui. Obrigada por alegrar meu dia!

Pâmela S. Melo disse...

Chorei...

(acho que minhas lágrimas falam mais que minhas tolas palavras!)

Filipe Garcia disse...

Marla,

não há o que dizer ante tanta poesia. Você faz coisas bonitas com as palavras e o prazer de lê-las é algo que ultrapassa o intelecto.

É desse amor descrito que todos precisam. Dele nascem todos os girassóis.

Beijo pra você.

Wallace Pires disse...

Moça, amei suas poesias, Phelipe que me apresentou... gostei muito..

Paixão, M. disse...

mãe do céu! "quando chove no mar..", nunca tinha parado pra pensar na beleza disso!! palmas pra você, moça MARLAvilhosa! hehehhe!

Que seu girassol prospere cada vez mas lindão de olhinhos pro sol.

beijo!

Ana Castilhos disse...

Vc é SENSACIONAL!!! Só tenho a agradecer de ter "entrado" na minha vida!
bjss e boa semana!

mari disse...

que linda.
to tão triste hj.
mas fiquei bem menos agora.

Paula Calixto disse...

É que o que há por dentro, no íntimo só vê quem redondo de si está.

Beijos.

Fernanda disse...

Querida Marla.
Suas escrituras são fascinantes!
Eu sempre me identifico com elas.
Você realmente sabe expor as palavras do jeito que eu sinto.

Uma sugestão: Faça um livro seu.
Com certeza fará um bem enorma para a sociedade.

bjim.

nelson disse...

Passando os olhos nas letras de seu jornal...beijos

Ana Maria Leite disse...

Minhas palavras fogem diante de tanta sensibilidade!
Sua poesia liberta minha alma transitória, me traz euforia em saber que existe alguém que apresente meus mais íntimos sentimentos de uma forma tão simples e tão intocável, tão intensa, tão real!
Sua poesia vem de encontro aos meu anseios e abraça minha alma inqueita!

André disse...

Oi, adorei cada linha tua, cada frase construída e sentimento ali disperso. é a primeira vez que te visito, mas tenho certeza não será a última, se me permitir vou linkar teu blog!
Bj.

aindaeu.zip.net


p.s: agora na data certa..rs

Leandro Jardim disse...

Dona Marlarida,

Você segue sensacional, hein, belíssimo texto! Muito bom mesmo!

beiJardins

Marcelo Ribeiro disse...

nossa! que coisa bonita...(não tenho, outras que sejam, palavras a dizer).

Rener Melo disse...

Minha nossa.. Como eu amo os seus textos. Quanta sensibilidade.
Amei esse trecho: "Mas eu olho pra você e me vem tanta ternura que agradeço a esperança porque você é bom e me inspira a ser alguém melhor."