Páginas

terça-feira, outubro 07, 2008

Alguma certeza

Foto: Gregoria Correia

Escuta: o que te dou não é por você, mas por mim_ se tenho amor demais, eu preciso deixar derramar até que tudo escorra e que haja um total esvaziamento. E, novamente, eu me sinta plena do vazio. (Porque também preciso da purificação do não-sentir pra me entregar de novo plenamente). Não interessa se amor demais te envaidece, envaidecer-se é uma forma de não se achar merecedor, caso contrário, receberia tudo com natural tranqüilidade. Mas não é sobre você que quero falar, é sobre o amor que escorre pela ponta dos meus dedos, que me enche os olhos e a boca d água.É por esse amor que eu respiro fundamente e sinto alegria. Você é só um foco do que tenho transbordando. Nada além do não-definitivo com a sensação de eternidade. Você é a energia que sinto, um rosto desfigurado, puro movimento e luz, o que faz movimentar-me em direção ao familiar tão desconhecido. Amo para conhecer-me e tudo me escapa: o que sabia sobre mim se transforma no que ignoro, o que não havia me tornado me fascina, mas não consigo tocar se reconheço. Esse é meu processo de melhoramento: saber-me ilimitada, transitória. (Se ficares longe ou aproximar-se, o amor será o mesmo, esse outro do “pra sempre, agora”).
Escuta: eu não preciso fechar os olhos para ver por dentro a profusão de cores.Eu não preciso usar palavras pra dizer da comunhão das coisas. Eu não preciso estar embriagada de um amor concreto pra ver beleza em tudo. Ele está em mim, eu estou nele e onde eu for, chegaremos juntos.
Se alguém se assusta ou se comove, é ser-espelho. Sol-teu-espelho, digo.
Escuta: o que te dou é meu. E isso ninguém roubará de nós.

*

Marla de Queiroz


20 comentários:

Késia Maximiano disse...

Sensibilidade na ponta dos dedos e latente no coração..

Lindo lindo, Marla!

Bjs

Ana disse...

Uauuuuuu!

De tirar o ar!!

mari disse...

eu me conheço mais olhando pra você.

Pat Rocha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pat Rocha disse...

Acredito que sempre que você escreve está voltando de uma viagem por inúmeros corações, entre eles o meu....

Abro minha boca e saem suas palavras...

Obrigada por me traduzir...
beijo

ju disse...

maaarla. ainda aqui do outro lado do mundo e amando ler você.
muito bom cada vez que abro seu blog e vejo um novo titulo... fico pensando "e agora? o que será que vem?"
e sempre vem, entra, bate, volta e fica. ;)
amo sua poesia.

bjs

ju disse...

maaarla. ainda aqui do outro lado do mundo e amando ler você.
muito bom cada vez que abro seu blog e vejo um novo titulo... fico pensando "e agora? o que será que vem?"
e sempre vem, entra, bate, volta e fica. ;)
amo sua poesia.

bjs

Pedro Arunca disse...

Até a pele comunga do que os olhos sentem ao beber do néctar que escorre dessas palavras.

Bj

Lubi disse...

Marla.
Eu ainda quero saber esse mistério que nos faz sentir da mesma forma, no mesmo momento.
Quando falo disso, não brinco.
Você transforma em palavras o que eu sinto antes de mim.
Suas palavras são sempre os textos para os quais me inspiro. Sem rasgação de seda.
Eu não sei.
Te amo tanto por isso.

Paixão, M. disse...

que coisa mais linda, moça... :) esse teu jeito de descrever amor.. sabe que que acho mesmo que é desse jeito? amor sendo assim algo concreto e cheio de propósito em si mesmo, que apenas muda de foco, quando lhe apetece. haja vista a gente sempre poder amar com força uma outra pessoa.

palmas pra ti!
e beijos =)

Nana Bomfim disse...

Conheço há pouca, mas já virei fã!
Linkei no meu blog-biblioteca: www.inesemorta.wordpress.com

www.chadesaquinho.wordpress.com

Leandro Jardim disse...

Gostei muito desse texto, tem algumas marcas fortes do teu estilo e bastante coisa que aparece de uma jeito meio novo, meio diferente, meio bom demais!

beiJardins

monica disse...

Lindo lindo, Marla!

Bjs

Iara disse...

Realidade enfeitada de amor....lindo....
Abs,
Iara

Moca disse...

e não deveria ser sempre assim?
:)
belo texto.

O Profeta disse...

Este impaciente vento
Solta a espuma de um escuro mar
Mistura o pranto e o riso
Aprisionados em sal solto no ar

Indomável é a tua vontade
Alimentas o fogo da solidão
Percorres caminhos incertos
Dás inquietação a uma oração



Boa semana



Mágico beijo

fred disse...

Muito bom o seu texto.
Se me permite, vou linkar seu blog para acompanhar as novidades.
Beijos

Glenn Brito disse...

Parabéns!

Muito bom mesmo, Marla!

Necka Ayala = N.A. disse...

SIMPLESMENTE LINDO!!!!!!!!!!!
Amei ter achado este achado.
Abraço!
Necka Ayala.

Luciana disse...

Seu link estava no orkut de uma amiga. Não resisti e fui conferir. Querida, (desculpe a intimidade, mas é que na minha casa vc não é mais visita. rsrrs) tb sou jornalista e sei a dificuldade que é viver das palavras. Mas sei que mais difícil ainda é tocar o coração das pessoas nesse mundo cão em que vivemos. E vc faz isso com maestria. Corações como o seu são nobres e por isso raros de encontrar. É um grande prazer degustar suas poesias. Tem sido a minha dose diária de lirismo nos últimos dias. Já dizia o mestre Cazuza "Pra poesia que a gente não vive, transformar o tédio em melódia..."
Parabéns, força e sabedoria. Para continuar nos brindando com o melhor da sua alma. Um abraço, Luciana Rosa