Páginas

segunda-feira, setembro 03, 2007

Adolescências


Foto: Helder Ribeiro

Ah, eu só queria que Eduardo me olhasse como quando ele examina uma tesoura cega, mas vive entretido com aquele amolador de alicates.Eu escrevi um poema pra ele com tanta ternura: botou ao lado da tesoura afiada antes de ler, o vento levou com pena do coitado.Eu fiquei observando de longe, ele nem percebeu que minhas palavras iam embora.No dia seguinte, levei um pedaço grande de bolo...deu a primeira mordida sem me olhar e disse obrigado com a boca cheia.Pelo que me ensinaram, ele foi mal-educado.Aí, na aula de pintura, tentei derramar cuidadosamente uma imagem, o tema era livre.Quis pintar a voz de Eduardo. Tive que fechar os olhos.Me lambuzei toda de tinta, parecia ele fazendo uma carícia em mim.Pendurei na parede, tava meio confuso, mas tão colorido. (A voz de Eduardo é mais bonita que os olhos, esses vejo pouco, já que quase não me olha, mas a outra é limpa, parecendo um filete de sol atravessando uma música) .Aí fiz questão de perder as minhas chaves pra Eduardo mudar minha fechadura.Tivemos que trocar tudo, minha mãe já desconfiada.Só porque Eduardo é pobre, ela ralhou comigo. Nem ligo, ele é tão bonito e, para mim, é um artista.Mas Eduardo fez todo o serviço apressado, nem aceitou o suco........lembrei do quadro, queria dar de presente, e o elevador já tinha levado Eduardo embora, que nem o vento fez com meu poema.


Gostei tanto de Eduardo que não me olhava nunca, que um dia na escola, o Igor deixou um bilhete dentro do meu caderno.Nunca tinha reparado nele gostando de mim em silêncio, eu parecia uma tesoura cega.Depois eu percebi, que cego mesmo era o Eduardo.

*

*

Marla de Queiroz

7 comentários:

Clóvis disse...

Liiindo, Marla.
De uma doçura plena, quantas imagens ternas, que história mais envolvente.

Vou guardar este quadro comigo, esta voz ressoando...


Beijos tantos.

poeta matemático disse...

Ui...

Adorei, as visões poéticas foram fantásticas...

Parabéns

Rayanne disse...

Ah!!! Coisa Marlinda ela toda prosa!!!!!

**Chão de estrelas, bela!**

*Amo.

Carol Montone disse...

Que bonito.....
tem tanta gente que nem percebe quando nossas palavras vão embora .....e isso dá uma tristeza estranha.....
que suas palavras sempre me chegeuem assim flor...frescas , envolventes e inspiradoras...tem recado para vc lá no céu...passa lá quando der...
beijos grandes
Carol Montone

Cacau disse...

Lindo... juvenil... cheio de frescor...
só é assim, o texto... porque é assim a autora!

eliz pessoa disse...

Ai esses Eduardos, essas moças, essas pessoas, essas coisas... esses, esses... Lindo texto! Uma arte redigindo Eduardos...
Saudade...
eliz

Aryana Penno disse...

Ai!
Muito lindo esse texto! Muito lindo seu blog!
Ahh esses Eduardos...

Posso add vc nos favoritos do meu blog né?
Beijos