Páginas

quarta-feira, julho 18, 2007

Luto

Foto:José Gama




Faz um mês e meio que perdi a minha irmã Inês. Eu estava em processo de recuperação, não quis passar isto nos meus textos porque a morte sempre me falou de vida. Da vida que tenho, que preciso viver com integridade, com totalidade. E cuido pra não machucar minha poesia, sei da responsabilidade que tem quem escreve e publica.Mas hoje eu perdi um dos meus melhores amigos, o Dani Boy. E a dor que sinto é absurda.A respiração fica massacrada pela mão do luto. O sofrimento se materializa no corpo causando um desconforto físico. A alma fica estilhaçada, tentando reunir forças pra amparar o corpo.O descompasso das lágrimas, o grito pelo alívio. E nada cura, nada resolve, nada ampara. Nada me faz acreditar nessa perda.Ele tinha a minha idade e seu coração parou. Simplesmente parou de bater. Coisas de gente que vive com muita intensidade.Mas ao contrário de achar que a vida é injusta, isso me dá pressa de viver.Uma pressa tremenda de ser mais feliz, de desenvolver o meu potencial amoroso,de publicar meu livro, de perdoar e pedir perdão. Uma pressa tão grande de ser uma pessoa melhor.E de viver com tanta honestidade.

Nem sei se deveria compartilhar isso com vocês.Mas os que me acompanham a tanto tempo, sabem que a vida não é feita só de nascimentos.Sei que o Dani cumpriu sua missão lindamente e que já está sendo orientado e preparado pro seu grande processo de evolução espiritual pelos Guias de Luz. Peço a Deus que me dê sabedoria para desapegar-me da saudade que sinto e que sentirei sempre. Para que eu não seja egoísta querendo-o no meu cotidiano presente e ativo como sempre foi. Que eu saiba simplesmente agradecer ao fato de ter podido conviver intensamente com um passarinho tão livre e leve. Meu amigo mais fanfarrão, a companhia mais deliciosa e generosa.

Um dia escrevi um depoimento pra ele no orkut, logo no início da nossa amizade. Fica aqui minha despedida.
E que venha a vida com todas as suas polaridades e maiores belezas.


Dani Boy é a intensidade materializada. As histórias dele são fantásticas e ele é todo hiperbólico para enfatizá-las. Lindo, engraçado, e um boêmio em toda a acepção da palavra. O álcool selou nossa inimizade. É o único com quem me arrisco a beber na segunda-feira pra ficar com raiva dele no dia seguinte. E a gente tenta fazer as pazes a semana inteira bebendo cerveja no Léo. Dani Boy conhece tudo do Chico Buarque e não tem inibição nenhuma em cantar um samba todo desafinado...Ele é leonino. E joga capoeira sem se alongar depois de tomar todas. E dá tanto valor à amizade que faz cada um se sentir o mais especial do planeta. Dani Boy é o fanfarrão mais carinhoso e divertido que conheço. E faz a posição da rã como ninguém...hehehehe...Ele é um folgado, mas meu melhor companheiro. E, pensando bem, com um inimigo desses, quem precisa de amigos?


Eu preciso entender que o sol se põe, às vezes, no auge de um dia de praia. E que nada detém a noite. Perder alguém muito querido, é como perder o controle de todas as situações. A gente sempre acha que poderia ter tomado mais um chope junto, que poderia ter estado mais presente, que poderia ter feito algo mais incrível. Mas a gente se esquece é da fragilidade das coisas e de que alguém cheio de vida jamais vai inspirar a morte. A gente não tem como saber qual será a perda ou a vitória dos próximos dias.
É preciso seguir, confiante de que a escolha que fizemos é a melhor. E que a incerteza é o que nos impulsiona ainda, mesmo que cause tanto desconforto.

Me perdoem o desabafo, é que uma sucessão de perdas é muito pesado mesmo e sempre usei a palavra como uma das fontes de salvação e amparo. Não se impressionem com nada...isso faz parte da vida e quero acreditar que nem é a parte mais importante.
*
*
Marla de Queiroz

13 comentários:

su disse...

Marla já faço parte das suas amigas no orkut, mas, faço parte das emoçoes que vc nos traz!!!obrigada por essas sementes de vida que vc nos dispoem aos olhos e ao coraçao!!!!bjs amiga muitos beijos e bençaos!!!!!

Mão Branca disse...

toda perda, para mim, é insuperável.


---

bem, conterrânea, vim para te convidar a colocar um texto no www.cronicacandanga.blogspot.com

pensei em algo como a visão de uma candanga longe de brasília, vendo-nos do rio. ou qualquer outra coisa.

beijos

-----
ps.:
é vc na foto? nossa, como é linda!

Flávio Otávio Ferreira disse...

realmente, n�o � nada f�cil lidar com a perda, quando a gente pensa que j� est� calejado e que estes acontecimentos s�o incapazes de nos ferir � que se percebe o engano... Tudo me deixa consternado! O fato mais corriqueiro, a morte de um desconhecido, tudo me remete � saudade dos entes que j� se foram. E, ainda, � o que me impulsiona para que acredite no momento em que estou vivendo, e, busque conscientemente viv�-lo na intensidade necess�ria para ser inesquec�vel. A vida � um mist�rio e, por isso, t�o boa de se viver. Vamos vivendo, acreditando que um sol sempre nasce pela manh�... Abra�os!
Beijos no cora�o!

Anônimo disse...

Querida amiga,
Suas palavras expressaram a dor de todos nós.
Daqui vamos emenar paz a todos!
Abraços carinhoso,
Gy

Cacau disse...

Doce Marla...

Sinto profundamente por sua dor.

Apesar de fazer parte do curso da vida(isso não me conforta em nada) estás certa ao dizer "que nem é a parte mais importante."

Importante mesmo é a caminhada, o estar perto quando preciso e quando não preciso mesmo, o sorrir, o falar, o beber, enfim... o Viver...

Como sei que vives intensamente...
Fez o valer a pena fazer realmente fazer sentido!

Se precisar ou não, de algom estou por ti, viu?... sempre que quiser!

Fique em paz!
Bjs com carinho,
Cacau.

Anônimo disse...

ler seus textos, mesmo quando são tristes, me aproximam muito de você. E agora que li o que escreveu sobre o Dani boy, aumentou sim a minha dor ...talvez esteja conseguindo fazer com que vc divida um pouco dela comigo, não sei o tamanho da dor do seu peito...mas ja me basta saber que ela é grande, e que palavras e pensamentos não vão curá-las...por isso, Marlinha, deixo aqui o meu abraço, daqueles bem apertados, e já posso sentir meu ombro molhado com suas lágrimas...afinal,ele era seu melhor amigo.
Que o Dani siga em frente espalhando igualzinho toda alegria que ele dividiu com a gente o tempo que ficou aqui....e pra gente que fica, que o nosso Deus ajude a saudade a virar uma brisa vai sempre refrescar nossos corações. um beijo grande.
Bubu

Carolingüista disse...

Marlarida,
que o cinza do inverno se dissepe o mais rápido e que as cores vibrantes e o sol maravilhoso opere uma mágica no seu coraçãozinho tão massacradinho pela dor.
Desejo que toda a saudade que vc sente de seus queridos que voaram para a eternidade seja transformada em chama de luz, de afeto multiplicado aos que aqui se encontram e que também querem compartilhar de sua cia.
Grande abraço fraterno.
Deus seja contigo!
;)

Juliana Pestana disse...

Aprendemos a amar a vida de tal forma e intensidade que a perda parece irrecuperável.
Sabemos da vida eterna, mas estamos tão presos a essa existência que é difícil explicar pro coração que estaremos todos juntos... novamente... em outro plano. Por isso não vou dizer todas as coisas que o seu espírito eterno e liberto já conhecem.
Que saibamos todos aproveitar ao máximo essa possibilidade de aprendizado e evolução que nos foi dada: a vida!

Bjos meus e abraços n'alma.

daniestrella27 disse...

Amiga, na tristesa do seu texto com a perda tão de perto.Mi vi perdendo a tristesa que a pouco minutos sentia...n era nada sério...só uma tistesa de vida.Grata por compartilhar esse momento tão dificil com tão boas energias.

Bom ter vc por aqui.

Grande beijo no seu coração.

Dani Estrella

Thata disse...

Ah, Marla, o que dizer, né? Só deixo aqui um grande beijo, um abraço apertado...a dor passa, o amor fica, você sabe.
Muita força, menina linda.
:*

Elenita disse...

MORRENDO DE CHORAR.
Amo você.

Carol Montone disse...

Flor
Só agora vi este post e mal consigo respirar......acho que precisava cair na real hoje, quando pequenas coisas do dia a dia me entristeceram....você é uma grande mulher...concordo com tudo que disse e hoje mais que nunca sei que nossas almas são irmãs...parabéns pela coragem de continuar admirando o sol ......parabéns por tentar exercitar o desapego.....eu também me coloco nesse caminho...tenho minahs perdas e ganhos e como voc6e uma pressa saudosa da vida que ainda não vivi
te adoro
grande beijo
Carol Montone

Alê Namastê disse...

LUz ao teu amigo e vida para nós.
Beijos*