Páginas

domingo, maio 13, 2007

Domingos



Domingos têm a brochura de um "Ulisses" de James Joyce:
são dias eternos, lentos, arrastados pelas suas mal-contadas horas.
Têm resquícios de amores passados, ensopando manhãs.
Têm arestas de indecisão ampliando seu quebra-cabeça incompletável
pra esticar as tardes.
Têm desejos de alguma novidade.
Têm contradições e desperdícios,
não têm conclusões, só indícios.
Domingos adiam suas noites pra causar impacto.
E quando nos acostumamos depois de ter andado entre sonhos,
entre livros, entre bares, entre tédios, entre ansiedades,
entretenimentos, entrelinhas,...
Domingo, tal qual o mar, anuncia sua ressaca:
uma segunda-feira vingará.
*
*
*
Marla de Queiroz

25 comentários:

Rodrigo Scaliante disse...

gostei muito dos seus escritos, me identifico com eles...
Tb escrevo e gostaria que lesse os meus, não é mero convite desses bloggeiros carentes por visitas.
abraços

Monika disse...

Domingo é sempre um dia arrastado,mas há sempre uma novidade escondida por trás dela...

Bjão menina. Lindo texto!

Clóvis disse...

"às vezes sem motivo fico triste, vem um pessimismo danado
não dou conta do recado,
quero descer desse bonde.
quero brincar de outra coisa,
tudo sem causa aparente,
loucura que a gente sente
em Domingo e Feriado

(...)

mas como veio se vai sem aviso
música sem sentido
morto mais um domingo
um sofrimento por nada
segunda-feira não tarda!"


Parceria linda da Suely Mesquita e Fred Martins, tão lindos quanto os versos reluzentes de Marla, que transformam Domingos em sextas-feiras, com sorrisos lépidos e felicidade constante.



Recordei-me da canção, agora.



Meu beijo.

carolice disse...

Domingos são os dias mais arrastados; parecem mesmo ter mais horas que os outros - mais ainda quando as horas dele passam a sobrar de repente.
Obrigada pelas palavras, moça, tanto as daqui quanto as que foram deixadas lá no meu blog.
Textolindooseutambém.
Beijo e bom dia =*

Lua Muleça disse...

sem comentários...
continuo me arrastando e te amando cada vez mais.
Você está escrevendo lindamente... abarrotada de sentimentos e eu aqui pateticamente apaixonada... por cada palavra!
Parabéns amor!

diovvani mendonça disse...

Guardarei esta sua bela definição dos domingos, em uma garrafa, lá na minha Árvore dos Poemas. Falando nisso, andei engarrafando mais alguns dos seus escritos no domingo. Vou te enviar as fotos para você. Abraço do engarrafador de poemas.

Rafael Velasquez disse...

Mas domingo é sempre bom, pelo menos quando eu não escuto a música do fantastico.

Anônimo disse...

Quero adentrar teus domingos
antes que vc acorde.
Na verdade, quero ser herança do teu sábado e acordar de carne osso ao teu lado pra vc saber que tudo era mais que um sonho.

Beijos nesse sorriso lindo.
EU.

Daniela Antunes disse...

Oi Marla,
Tive o prazer imenso de receber um e-mail com uns poemas teus e o link do teu blog.Foi uma amiga que mandou e vcs nem se conhecem, ela disse.
Mas eu fiquei pasma com tua poesia.
Tudo que vc diz tem muita força e traduz minha alma.
É delicioso ler-te.
Agora sou sua maior fã e divulgadora, aliás, vc deve ter fãs demais nesse mundo todo.
Vc já tem algum livro publicado?
Eu queria presentear amigos com seus escritos.
Eu moro em Fortaleza, um lugar lindo.
Vc conhece? já pensou em vir pra cá?
Ah, querida, continue escrevendo lindamente para nos presentaer.
O teu talento é inigualável.
Obrigada.
Beijos.

Nando... disse...

Pra mim o domingo passa rapido. Rapido como uma batida de carro, daquelas em que tu sabe q vai bater, aí tu escolhe: O pálio vermelho ou o uno cinza?
Com aquela ânsia de funeral, sabe?

Rayanne disse...

Poiss tal qual o mar
o Domingo tem qualquer coisa de fundo;
De imenso, a vagar:
Domingo revira o mundo
Buscando amor
De amar.


Saudades suas, feiticeira do sorriso.

Marlalinda,lua,leve.Marlarida.

***Estrelas todas***

Charlotte Sometimes disse...

Oii linda Marla
Faz tempo que não comento aqui, mas sempre venho dar uma espiadinha... é a correria da facul, mas terminando esse mês as águas voltam a correr em seu ritmo habitual
Lindos seus textos, nem preciso dizer. Sempre me emociono.
Realmente, alguns domingos poderiam durar até a terça feira, tamanho é o seu encanto.
Beijos querida, fique com Deus

moacircaetano, todo prosa! disse...

Pois como dizia a velha quadrinha: "Hoje é domingo, pede cachimbo..."
Cada um tem seu cachimbo, omeu é o amor!
E o domingo passa célere, cavalo bravo solto em savana!

constantine disse...

Literatura mágica, não dá pra pegar. Me lembrou o Garcia.

eliz pessoa disse...

Marlota, domingo tem cara de futebol-clássicos, de Beirute e cerveja gelada - "loiras geladas", de bicicletas nos Eixos, de Parque da Cidade, de amores infindos, de presságios de outra segunda preguiçosa, de saudades múltiplas, de torpores, de amenos saberos, de amor, de amor, de amar...
Besos!

Luiza Lisboa disse...

Nossa, amei! Vc escreve muuuuito bem! Voltarei aqui mais e mais vezes!
Bjos!!!

Elenita disse...

Minha irmã linda,

Estou cada vez mais fã dos seus textos... LINDOS, LINDOS, LINDOS.

E intensos.


Exatamente como você.

=**********

Luzzsh disse...

:)

Sensação mesma. Domingo é um diazinho que dura nada. ou dura demais. Inversamente proporcional a estar sendo bom ou ruim...rs...

Beijos, moça...

Nando... disse...

humrum!

paulo vigu disse...

Todos os dias trazem entrelinhas, mas entre as linhas de um domingo, dependendo da entrelinha, só mesmo uma 2ª-feira. Riodaqui/ 3ª a 6ª/ beijo aí.

Cássia disse...

Flor, eu raptei mais um texto seu e ele está de passagem lá no meu canto. Desculpa, eu fui mal-educada, deveria ter pedido antes, mas ele tinha de estar lá exatamente naquele dia. Prometo que nas próximas vezes eu peço bem antes... mas prometo transgredir caso você adivinhe meus sentimentos novamente. ;o)

Beijos da pequena que ama os seus escritos.

André disse...

Domingo passo dormindo, sem dor, sem mim, sem dó.
Domingo passa por mim e eu nem sinto.
Domingo, se fosse contigo poderia ser infindo.
(como é bom beber do mel destilado no cálice de sua alma)
André

Leandro Jardim disse...

é, eu tenho vivido domingos assim...

muito bom!

Flávio Otávio Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Flávio Otávio Ferreira disse...

pois é...hoje é domingo! E, pelo visto ele vai se arrastar através das horas e me deixar perturbado quando se encerrar...

Beijo no coração!
Paz e Literatura sempre!