Páginas

domingo, dezembro 10, 2006

...


Nossa história é antiga,
mas inda nem começou.
É semente de música,
prosa rabiscada em papel de pão
esquecida ao lado do computador.
Nossa poesia é casada
com a euforia das histórias breves;
versos catados na neblina
cansados de rima,
enterrados na neve.
*
*
*
(Marla de Queiroz)

12 comentários:

Múcio Góes disse...

veja vc, que eu venho aqui e nao sei o que dizer. essa história me deixou mudo. um dia eu mudo.

Lindo de viver, Amormaço.

bjoMar.

moacircaetano disse...

Todo papel esquecido é um dia redescoberto...
seja por olhos inquietos, por mãos desprevenidas ou pelos agentes da decomposição...

paulo vigu disse...

a história é antiga e ainda nem começou. espere um pouco: vou ligar a máquina de gelo sêco pra criar um clima e tudo se achar den´da neblina, entre as paredes gigantescas do castelo. águas do riodaqui aí, sempre. beijo . paulo vigu

Rayanne disse...

Flor de Marlavilha!!!!

(tanto silêncio de ti e a saudade agarrada no peito)

Canais silenciosos. Vc parece espera. Aqueles minutos de pasmacera antes da tempestade de verão.

Amo você, linda minha. Esteja bem.

***Estrelas tuas***

A czarina das quinquilharias disse...

esquecidos? sei não
bjos, coisa mar-linda

Monika disse...

Quecoisa linda! Mto tocante...CAsa muito bem com o momento que atravesso...

Bjs. Fica bem.

Deia disse...

Não consigo pensar outra coisa toda vez que passo por aqui, como não fui eu que escrevi isto, como?
Que dom vc tem, de traduzir os sentimentos desta maneira tão bonita, forte, às vezes delicada, perfeito, sempre.
beijos flor

Cecília Braga disse...

Porque as rosas azuis me remetem ao céu e ao mar...e conseguem me dizer tanto...
Porque tudo que se enterra na neve é pra durar...
E as flores que são efêmeras sabem que o amor eterniza tudo...até aquele instante que passa.
Airumã, teu amor curando...sim!
Todo meu amor, sincero!

Ju disse...

Sementes que brotarão cantando...
Lindo e leve como a vida deve ser.
Saudade...

Beijos

diovvani disse...

Sua poesia mesmo se fosse solteira, casaria; sempre, com meu olhar comovido. AbraçoDasGeraes.

Leandro Jardim disse...

Que fase em muchacha!!!!

Esse arrepiou até fio do meu assobio!!!
^^^^^^
ela faria
mas a euforia
falaria mais
e feriria
assim como poria
a rir o dia
era de poesia
^^^^^^
*de volta ao seu poema:
"Nossa poesia é casada
com a euforia das histórias breves;
versos catados na neblina
cansados de rima,
enterrados na neve."
Chego a sentir no dente como a doce dor de todo sorvete!

beijardins de colorir marlaridas

Carol Montone disse...

Olá Marla
Bela poesia
Te achei buscando no google a palavra loucura, engraçado né? adorei seu blog...se puder passe no meu céu...beijos Carol