Páginas

quarta-feira, novembro 01, 2006

Há-Mar.

Foto: Catarina Cruz
É preciso
que você navegue
o caos
até
meu cais
para que eu possa
abarcar
e transmutar
tua
nau-frágil.
*
*
*
(Marla de Queiroz)

13 comentários:

Anônimo disse...

Olha a honra! Sou a primeira a comentar! rsss
Lindo demais, como sempre! Gosto muito de tudo que vc ressuscita!
Bjos!
Ju - BSB

Alequites disse...

"transmutar..."

A realidade dos seus versos dá mais cor ao meu dia.

Ótimo dia!

Rayanne disse...

Ai...assim eu ainda me afogo em tanta doçura...

*estrelas, bela!*

Múcio Góes disse...

nave
nova
neve

nave
gar
em vc

meu
cor
ação
deve


já disse, né? vc é!

bjo!

Anônimo disse...

Acho que conseguir ler todos os textos... não vou te largar mais!! rs... Caracas tem muito texto seu.. já dar um livro... muitos amigos meus lêem seu blog... Te amo gatona...

Bruno Marques

Ju disse...

Apaixonante!

Beijos e ótimo feriado.

Paulo Vigu disse...

O mar está agitado, como sempre esteve, e logo eu que no post anterior perguntava de qual ilha a moça vinha! Há muita beleza aqui. Riodaqui/Paulo Vigu

Juliana Pestana disse...

Eiiiiiita... como eu desejo que esse mar diminua, diminua, diminua cada dia mais... mas que nunca deixe de te inspirar.

Bjos meus.

Tiago disse...

to indo ver o mar logo mais... se eu conseguir atravessar os rios de carro de sp... beijo. lindo.

Leandro Jardim disse...

Lindo!
Me lembrou muito um poeta contemporaneo que li recentemente, no livro Balada do Impostor, o Geraldo Carneiro!

beiJardins

Segunda Pele disse...

Lindas palavras, linda imagem.
ah.. o há-amar...

Jota Effe Esse disse...

Aqui estou Pronto, transmute minha nau num barco onde só caibam coisas boas e eu te pagarei com um beijo

Jota Effe Esse disse...

Pronto, aqui estou Transmute minha nau num barco onde só caibam coisas boas, e eu te pagarei com um beijo