Páginas

sábado, outubro 21, 2006

Perfil 3



"Caboquinha corria dentro do vestidinho vermelho com flores brancas e pequenas. Estampas querendo o suicídio coletivo. Morrer no revés do tecido. Nada tem a ver com as cores que se avistam com olhos recém-nascidos. Para é sempre Caboquinha. Depois que conheci Caboquinha foi como se me colocassem viseira para burro birrento. Para não enxergar periferias e abismos e se por de ré; talvez, até soltar uns coices. Caboquinha tem cabelos de alecrim. Loura negra. Boca carnuda de chupar o polegar, beiços vermelhos de lamber garapa; pernas grossas de subir morro; pelo mocotó, uma idéia das delicias para o rumo de cima; olhos negros e mudos, timidez treinada para coronéis; língua solta quando atentam suas entidades baixava a pomba-gira. Levanta terreiro. No mais, cheiro de mato e safadeza. Hoje, a ciência descobriu que se chama feromônio esse olor de bicho no cio e caboquinha vive desvairada. Recatada era pela força dos modos. Filha de macho que não quer ver filha sua perdida na vida. Claro, o safado bem desgraçou tantas. O sangue que lhe veio nas veias já havia contaminado a prole. Caboquinha aguava desde menininha. Quando lhe dava aperreio, corria pro córrego e era visão farta pros bichos, cheios de sede. Qual eu, sedento de caboquinha. Um dia, virei homem e a arrastei pelos cabelos. Botei cabresto e montei no pelo. Várias vezes, que era para fazer vingar a doma. Mas, ao contrário, ficou cada vez mais arisca. Mais dona de si. E, agora, dona de mim, caboquinha me atiça como quer. Fico aqui no cercado, seguro da vida, arando cama para amansar caboquinha. Deita caboquinha, deita...
Do teu caboco.
Saudade."

7 comentários:

Múcio Góes disse...

Hummm que delicia brejeira!! Lembrou-me os ramos de Graciliano, as rosas de Guimarães. Ah caboquinha... rsrs. Cheiro de cio, de beira de rio...

Adorei!!


Ps: vou reenviar, ta!

bjss!

Múcio Góes disse...

putz! tive de reescrever, e acho que agora foi rsrs... 13:29h.
senao, te respondo dps, éq vou ter de sair agora. rs

bjao!

Feliz? Feliz! Feliz... sempre bom, isto!


muciogoes@uol.com.br

Cláudio disse...

Olá Marla... A Paula, mulher do Marcelo, me mostrou seu blog e eu adorei. Você tem muita inspiração, tanta que até me atingiu.

Parabéns.

Cláudio

Leandro Jardim disse...

Muito muito lindo o texto!

marcos pardim disse...

eita, mas que caboco que roça a felicidade este, pelo fato de ter como dona uma caboquinha tão faceira e pactada com a belezura...
pra não despertar o ciúme nele, nem vou me despedir te deixando um beijo (rsss...)

Ju disse...

Hum, q lindo!!

Saudade.

Beijos

Cássia disse...

Só faltou você dançando ao som de música encantadora, sem palavras, e esse texto sendo narrado...

Beijos docinhos.