Páginas

segunda-feira, outubro 30, 2006

Deixando ir...ou carta que pretende ser um beijo.



De repente é noite e você está tão só...O meu dia foi tranquilo, mas eu sei que o seu te doeu até agora e eu não posso amenizar nada com palavras que pretendam ser abraços porque elas te falariam obviedades sobre tempo, paciência e espera_ quase uma crueldade quando o que a gente quer é uma premonição, uma certeza, alguma frase cheia de sabedoria que norteie nossa vida.

De repente a semana está começando de novo, mas só se passaram alguns dias e todos foram tão abarrotados de ausência e medo e confusão interna, de uma busca quase estéril de se sentir melhor ,de fazer coisas por si mesma...E o buraco insistindo no meio de dentro do corpo, o abismo gelado, o choro engrossado de escuridão e descrença...E eu te vejo encolhida num canto, o desespero nos olhos, o peito abafado, a vontade do grito e a falta de fôlego...E eu não sei a coisa mais bonita que eu poderia te escrever....Sei que já vi borboletas voarem faltando um pedaço da asa e rosas incríveis desabrocharem num copo com água: e é disso que me nutro pra acreditar que a meteorologia nem sempre está certa e que dias tão cinzentos podem ser prefácios de noites com sol...

Sei que se eu estivesse aí,certamente estaríamos juntas no cantinho mais confortável de qualquer lugar escolhido por você e eu te daria um abraço com tanto encaixe e amor que você, por pelo menos alguns minutos, encontraria“ um pouquinho de saúde, um descanso na loucura”...E mesmo que o seu corpo todo doa numa súplica e que “ele” seja toda sua ferida, meu amor, eu espero ,sinceramente, que o pedacinho que falta na tua asa, não te impeça o vôo...

( Minha flor, o que eu tenho pra te dar é colo, não conselho...E todo amor que transborda em mim, vai ser seu até que nada mais doa tanto...)
*
*
*
(Marla de Queiroz)
Abril 2006

9 comentários:

Márcia do Valle disse...

Lindo esse texto, moça! Vou te linkar lá no Solta no mundo, ok? Bjs

cecilia disse...

Marla,

Parece que cada linha e cada entre-linha foi feita pra mim...eu que pensei que era só em romance que o amor podia doer tanto a boca do estômogo num grito silencioso da alma que se sabe vazia, e tem fome...
gostaria que nesta noite houvesse sol... E que essa conversa marcada pra hoje não seja ponto final e sim reticências...

Passei a noite "regando meus sonhos", o dia desesparadamente atônita ... parece que uma mão comprime meu coração e meu estômago...eu que não sei esperar...eu que não sei como continuar sem este pedaço ....que tudo indica ...meu Deus ...que eu vou perder...medo de senti-lo o resto da vida como membro-fantasma...Minha Nossa Senhora, Valei-me!

Rayanne disse...

Marlinha,
coisa mais bonita de Deus, o colo que tú me dá.
Foi tão bonito que tudo o que é água curiosa ficou beirando os olhos, se espremendo pra olhar, até derrubar. Porque seja lá o que acontecer eu dou um jeito de aquietar esse abraço aí e esticar um soluço até ficar parecendo um sorriso. Torto, mas será.
Viu?
Amo.
**Estrelas prá nem poder contar**

Múcio Góes disse...

"ouvi dizer que são milagres, noites com sol..."

há momentos em que ser forte apenas não basta, e um colo cai sempre bem, e seu texto, Marla, conforta, e muito.

Força, Estrela!

bjsss²

Paulo Vigu disse...

Tua leitura de corações é impressionante. De qual escola de ciganas você é? De qual ilha você vem? Riodaqui/1 beijo aí/Paulo Vigu

Samanta disse...

Venho aqui sempre que quero um colo, sempre que preciso de algo mais, alguma mensagem bonita...você é mesmo incrível..
Bjo!!!

Ju disse...

Fico envergonhada pq não sei comentar a altura. Mas meu coração embala cada palavra tua e os olhos marejados de lágrimas confirmam q vc é a poesia q se transformou em gente.
Beijos emocionados.

Elenita disse...

nossa... é sublime...
amo!!!

um beijo =*

As Flores e Eu disse...

Me fez chorar.
Lindo demais.