Páginas

terça-feira, setembro 12, 2006

Das confusões sobre o amor...

Foto:Alice Costa

Porque fazemos nossas lacunas não do tamanho das nossas falhas, mas do tamanho das arestas do outro.E onde parece haver um ato de total coragem, pode apenas ser a nossa mais pura covardia. Ou vice-verso.
Porque a nossa aparente generosidade, pode somente dar a dimensão do nosso egoísmo, da necessidade de manipulação e senso de auto-importância.
Porque descobrir que quem te ama não precisa de você, tinha que ser bom, mas o ego só deixa doer.
Porque onde sobra amor pelo outro, pode simplesmente ser a falta do mesmo... por si próprio.

(Na maioria das vezes, quando alguém nos abandona, é porque já fomos embora de nós mesmos).

(Marla de Queiroz)

24 comentários:

Elenita disse...

Só pra dizer que você ilumina a minha vida.

Um beijo.

Berlim disse...

te mandei um email..
eu já fui embora..
mas queria ficar..

descobri o que fazer..
com o escorpião perdido..
antes de plutão ter nascido..
era marte quem iria lhe regiar..

então na luta do vice e versa..
acabamos caindo no mesmo lugar..

arianos já estavam aqui..
plantando as sementes..
antes dela chegar..

--e que nasçam flores..eternas..

diovvani disse...

"Porque descobrir que quem te ama não precisa de você, tinha que ser bom, mas o ego só deixa doer.
Porque onde sobra amor pelo outro, pode simplesmente ser a falta do mesmo... por si próprio"

Marla, esse final é pra fazer pensar!

Montanhoso Abraço.

meu paredro disse...

Perfeito. Amar é descobrir em todos os sentidos ao mesmo tempo; redescobrir e inventar novos sentidos, não deixando nunca que se torne normal demais. Começo a achar que quem ama de verdade raramente fecha os olhos.

Anônimo disse...

Uau, até me engasguei! Fantástica vc, seu texto... Ufa.
Beijocas admiradas.
BeiJO JO

Cássia disse...

Posso comentar sem falar? Porque você disse (quase) tudo. ;o) E o que não disse, está nas entrelinhas...

Beijos, linda flor.

douglas D. disse...

porque vazios de nós mesmo, nada resta...nem a solidão.

Anônimo disse...

Justo hj que vim te visitar,vc me joga verdades na cara.Assim,como quem não quer nada,como quem faz poesia ou medita.Vc é tão doce e tão real...É que eu ando assim,meio fora de mim...E o teu post veio complementar o meu.Beijo flor.Gosto muito de vir aqui.Mesmo quando dói.

Anônimo disse...

O coment de cima foi meu:
http://www.garotabossanova.blogger.com.br

Charlotte Sometimes disse...

Que lindo seu blog... muito delicada a sua maneira de expor a dor e a beleza...
Virei mais vezes visitá-la
Bjs,
Charlotte

Segunda Pele disse...

Eu já não tenho nada a dizer. Agora restam os aplausos pra você!
Muitos e muitos!

Beijos pra vc

izabella disse...

Quando desocupamo-nos de nós mesmos, deixamos a vida baldia, lugar impossível de se amar.
Lindo demais o seu blog.
Obrigada por ter me visitado.

Ju disse...

Ah, minha amiga linda linda!

Vir aqui é sempre um presente adorável.
Não me sinto capaz muitas vezes de comentar teus escritos, mas me sinto muito capaz de senti-los e de adorá-los.
Obrigada por vc existir.
Ah, obrigada tb por me indicar livros do Mia, eu vou ver se leio algumas coisas dele e depois te falo q achei, tá?
Beijos com muito amor, amo vc!

Húmus Wufus II disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Húmus Wufus II disse...

(Eu jurava que tinha comentado algo aqui...)

Nesta Semana vou enfiar 5kg de livros, de todos os tipos e cores.
Vou folhear até mesmo as receitas "meia-boca" prontas dos livros de auto-ajuda,
pra não deixar o bolo solar. Mas vai ser tudo com carinho, pra não traumatizar.


Do pau pro cavaco: gosta do curso que faz, da profissão que vai seguir? Você já me disse que somos iguais quando se trata de escrever uma matéria sem vida, seguir pautas. Tenho me imaginado em outras profissões que não jornalísmo, estou em dúvida entre psicologia ou engenharia florestal, letras ou medicina.
Óh dúvida cruel!
Estou chutando umas pedras pra ver se escuto respostas, mas nem gritando as danadas respondem.

Grandes dias.

Rayanne disse...

Amor é o que se doa
sendo absolutamente desnecessário doer.
Amor é o que semeia
Apenas para sorrir ao nascer
As estrelas do chão, sorrindo em teu nome, Marlarida, pra o mundo.

**Estrelas**

pedro pan disse...

, "tinha que ser bom, mas o ego só deixa doer." esta parte é de uma verdade incrível...
|beijos meus|

Mendoscopia disse...

é Marlírica...dói saber que é verdade....
bjokas
Marcia

Mendoscopia disse...

Olha q engraçado, enquanto escrevia vc lá...eu aqui...
vai entender! Envaidecida fico e te conto q ele saiu da Farani! rss
bjo

Dora disse...

Descobri seu blog. Descobri seu modo de se expressar. E li coisas bem "duras" de se assimilar!! de tão verdadeiras e cruas...
Gostei muito.
E saio pensativa...
Receba meu abraço.
Dora

Bela Caleidoscopica disse...

Marlarida-flor-de-formosura,
eu passei do ponto de achar amor, colher e deixar brotar...hoje eu sinto e sei que é um ato de eterna vigilância. é um amor exigente, que me educa, instiga, desdobra e pede alimento puro, água limpa, solo forte...porque o amor que vem tão intenso e belo deve sobreviver à pulsão...se a gente quiser...mas demanda taaanta dedicação...que
às vezes só me canso. Mas é tão raro, me é tão caro que eu me recupero e volto, cheia de força e ânimo, pra mais muitos anos de amor. No fundo, é uma fraqueza...não aprendi a viver sem amar...nem quero, eu acho.
Loviú, lindeza!
saudade rôxa

Lubi disse...

(Na maioria das vezes, quando alguém nos abandona, é porque já fomos embora de nós mesmos).

Caramba, eu assim.
:#
Não ouso palavra sobre.

Carolingüista disse...

caiu como uma luva pra mim. exatamente hoje! vc é talentosa e maravilhosa!

Fátima disse...

vc não tem idéia de como foi bom ler isso agora....obrigado!!