Páginas

sexta-feira, agosto 04, 2006

Para um algOZ...ou da Decepção...ou somente um texto muito longo.



Foto: Tatas del GOSTs

Decepção é uma palavra estéril pra mim...até que me aconteça.Porque às vezes ela nos faz desvalorizar uma pessoa inteira por causa de uma única atitude.E quando se é tomado pelo emocional, dificilmente se consegue refletir, quem dirá por esse ângulo.

Eu conheço todas as fases de uma decepção: raiva, mágoa, tristeza, melancolia e depois um tipo de amor ferido escondido embaixo dessas quatro pedras. Quando você se permite viver a coisa toda, ela vai sendo descascada como uma cebola desnudada de suas peles até que só reste a libertação. Não digo a libertação da indiferença, aí ainda restaria mágoa, defesa...É mais profundo, é mais interessante...É a compreensão. Você, depois de se permitir o luto total, consegue enxergar que o outro não é mau, que você não é vítima, que tudo não passou de um triste encontro desencontrado, cheio de conseqüências...Que ele caberia direitinho na história de um outro alguém, não na sua. Mas escolher lidar com isso de uma maneira mais madura, é o único bem que se pode fazer, não pelo o outro, mas por si próprio...E a conseqüência disto, acaba sendo um bem duplo.

Depois que aprendi a ser água, a chorar como a chuva só pelo profundo respeito que tenho por mim até me desvencilhar da angústia, aprendi outras coisas e recebi benefícios que vêm junto...Sei que muitas histórias desagradáveis se repetem: não acredito que seja porque o mundo “esteja perdido”, mas porque EU, dentro de tantas outras possibilidades, devo estar condicionada a viver a mesma história_ primeiro passo que preciso dar adiante. Depois, seja lá o que o outro tenha feito, ele o fez porque ME permiti que o fizesse, ou ainda, se é algo de sua índole, “onde EU estava com a cabeça que com minha sensibilidade não percebi a energia estranha em que EU estava vibrando pra atrair uma figura que fosse capaz de.? Ou, por que percebi e aceitei que viesse? Que fantasmas meus esse outro alimenta?” Outro passo adiante... E assim, vou compondo caminhos mais ensolarados.

O mais bonito e mais profundo é quando você consegue se colocar passivamente, sinceramente no lugar do outro, esquecendo suas dores e seu orgulho por um momento pra tentar entender que, ele simplesmente pode estar condicionado às dificuldades, ao desamparo, ao desculpar-se, a não ser amado........Que ele deu exatamente o que tinha pra dar, que fez a única coisa que sabia fazer e que, ainda, deve sofrer mais do que qualquer pessoa que ele fira, porque não consegue amparar essa criança interna assustada que faz essa bagunça externa só pra chamar a atenção.

E sabe o que é mais difícil de aceitar? É que nada me garante que se estivéssemos em lados opostos, que eu não faria a MESMA coisa.

Eu detesto justificar os erros de alguém, até porque isto seria uma forma de me sentir superior quando julgo saber o que o outro sentiu ou pensou quando agiu.....é como se eu fosse tão sábia, que se o mundo inteiro falhasse eu teria as respostas...........(Mas eu ainda passo dias inteiros chorando por mim até perceber num momento de luz que, tudo bem, posso fazer aquilo, mas estou olhando só pro meu umbigo... E que não há nada mais importante naquela hora que meu umbigo...não há culpas, eu me permito e mereço, porque sou a que mais me aturo e que daquele momento vai vingar algum fruto bom_ e isso é um compromisso que assumo na hora da permissão que me dou.)

Eu descobri que, ao contrário de outras coisas, a melancolia não é uma escolha minha e que quando ela vem me estraçalha por dentro, me deixa em frangalhos...”Mas o que eu tenho a aprender com isso???” Era a pergunta que me faltava.........Eu tinha que exercitar a minha humildade e aprender a pedir AJUDA...Eu nunca soube pedir ajuda, eu só sabia entrar em depressão!!! Entrar em depressão é dizer ao mundo: “Não, nada do que se faça vai adiantar, porque eu não tenho mais perspectivas, não acredito em nada e não confio em ninguém”...E pedindo ajuda você permite ao outro semear um terreno árido, você dá votos de confiança, você se desnuda na sua mais íntima fragilidade, se expõe apavorado e inútil, desamparado e mortal e precisado daquele colo dele, que pode ser o único remédio pro seu veneno fatal. É onde a coisa toda começa a vibrar numa outra luz.............é quando a sombra some....ou se suaviza....ou assusta menos, porque o outro se revela também, na sua mais profunda disposição/ exposição pra ser útil a si mesmo neste reflexo que vem de nós.

Eu comecei o texto falando de uma decepção e continuei escrevendo num fôlego só, cheia de digressões .......Agora que ia concluir, descobri que quero mesmo é falar do amor:

Sabe quando você conhece o amor por si próprio? Quando sabe que não importa o que lhe façam porque você governa, escolhe, conduz a sua vida? Sabe quando você sabe que uma pessoa se sente bem ao seu lado só porque você sorri sinceramente? Quando você atrai muita gente saudável , dessas que sabem que merecem ser felizes integralmente e se trabalham , se melhoram a cada dia e que não economizam entregas? E que quando estão próximas, trazem à tona o que você tem de mais interessante? Pois é..........eu sei tanto que imagino que alguém que decepcione voluntaria ou involuntariamente por vaidade ou por maldade ou deficiências, certamente o fez por uma condição penosa: de não o saber.

O que dói mesmo nessas circunstâncias não é só o que foi causado.........é quando você percebe que a pessoa está vivendo uma escolha que ela fez, que ela está mais disposta a lamentar e a se vingar do mundo a simplesmente perceber a dor profunda que está guardada embaixo de tanta raiva............Que não podemos amaldiçoar a chuva, o vento, o sol: tudo vem ao seu tempo e com seu mais exato porquê...E que talvez não nos alimente naquela nossa expectativa, mas que, em algum lugar,alguém vai beber daquela água, daquela luz, daquilo que pode parecer um grande estrago pra gente, mas que é necessário pra beneficiar outrem..............Tudo intercalado, oscilando, necessário e UNO...

Eu ia falar de uma decepção.......mas ela se dissipou aqui, agora.....Conheço melhor o AMOR!

( e acho que nunca me expus tanto aqui...)

Eis que a vida é mais bonita do que parece e "de tão bobas tristezas, a gente se ria, nos friinho de entrechuvas..."
(Porque Guimarães me salva... Sempre...como quem me lê!)

P.S.: Sempre que algo desagradável me acontece que envolva alguém, lembro de uma frase que ouvi certa vez: " Ninguém está contra mim, todos estão a favor de si mesmos..."

P.S.2: Parece que tirei a semana pra desabafar aqui...hahahahahahaha

P.S3: Hoje é sexy-ta-feira e vai ter sooooolllllllllll!!!!!!!!!!!!!!

Marla de Queiroz

***

12 comentários:

Anônimo disse...

Lindo! Lindo! Aqui lendo seus textos ninguém se decepciona.

Bjs!

BeiJÔ JÔ (hahahahahaha) disse...

Minha Marlarida preferida, afinal, a única! Você falou e disse! Que maravilha chegar ao ponto de reconhecer tudo isso e se expressar tão divinamente. Quando li esse seu texto tive a mesma sensação de qdo estou lendo Clarice (e já estou no fim, que pena): que visão do mundo e de si mesma, que percepção e capacidade de expressar o que todos sentem mas não sabem como pôr pra fora e de maneira tao linda, poética inclusive. E eu fico assim: admiradíssima e agradecendo por tê-las em meu caminho.

Beijocas emocionadas

Rayanne disse...

"Depois que aprendi a ser água, a chorar como a chuva só pelo profundo respeito que tenho por mim até me desvencilhar da angústia"
Separei este aqui porque belo entre belas palavras.

Florzinha de laranjeira, explodindo em flores, frutas e perfumes:
Reconheço em ti uma mulher inteira, enorme dentro de si e dona dos próprios sorrisos, capitã de sua vida inteira. E eu fico tola de ver isso, porque eu sou pessoa assim tola, de lágrimas à flor da pele. É lindo ver uma mulher desabrochar com tanta confiança. E tanta doação. Sem egoísmo. Maturidade. É lindo saber que encontrei você no meu caminho.

Estrela de chuva.

pedro pan disse...

, nos decepcionamos no dia a dia. sim. por mais que tentamos não. é preciso lembrar que muitas vezes somos os que decepcionamos o outro ou a nós mesmos. ter amor próprio é uma sabedoria e uma alegria sem tamanhos...

|beijos meus|

Ju disse...

Oi, Marlinha linda linda!

Sabe, por algum instante eu pensei q vc falasse de mim. Já passei por isso e sei muito mesmo do q vc fala.
A gente aprende e cresce tanto...
Basta apenas nos libertarmos!

Beijos carinhosos!!!

Cássia disse...

Eu ia lendo o texto e sentia cada palavra, cada momento, fui me lembrando de algumas decepções, daquelas que calaram minha alma por instantes, mas como depois tudo passou a se encaixar. Nem sei muito o que dizer, porque o texto disse muito por si mesmo... Ele me disse tanto, que talvez só o meu olhar para você a faria entender o que senti.

E vá tomar SOOOOOOOOOOOOOOL!!!! E aproveita e se aqueça por dentro para as margaridas brotarem no seu peito e te encherem de alegria. Aqui em São Paulo, mesmo com o céu cinza, o sol está entrando pela minha janela e deixando meu quarto colorido.

Beijos com amor.

samanta disse...

Muitas reflexões através do seus textos, mas esse em especial me fez pensar em algo meu, que está acontecendo, me senti tão próxima disso tudo...Já disse que vc é maravilhosa né, não custa nada repetir.....VC É MARAVILHOSA, e sabe lindamente lidar com as palavras conseguindo nos transmitir muitas coisas boas....
Bom final de semana, bjosss!!!!

Bela Caleidoscopica disse...

Marlarida-linda-flor-de-formosura
(esse nome é que nem amor-perfeito, tão composto e exato quanto ele!),
A gente tem funduras, tem ausências, tem abismos, tem medos e senhas secretas que acionam mecanismos nem sempre fáceis de detectar e desvendar. Isso é um bom fermento pra tudo o que nos acontece, todo dia, por toda a vida. Mas ai, vem uma pessoa como vc, que faz raiar no furtacor da alma esse sol que torna tudo tão cristalino, por mais doído que seja.
Eu me emociono sempre com vc, não sei se por vc ter esse dom de fazer de cada um "um bem vindo" ou por identificar nos seus escritos fragmentos meus tb. As histórias se confundem, se repetem, servem de espelho e exemplo (pra quem pode aprender sem ter que mergulhar no poço fundo!)e, no mais das vezes, terminam por me trazer uma sensação de similitude que me deixa besta!
Me lembrei de uma frase que ouvi da mulher do capataz da fazenda um dia, uma moça tão simples e tão afiada nas observações da vida: "Não adianta, minha filha, entrar no armarinho atrás do doce, que vc não vai encontrar. Cada um tem uma coisa pra dar, se ele não tinha, como podia dar pra vc?".
São as nossas limitações e idiossincrasias, flor...o negócio não é esperar menos, nunca, mas só saber o que se quer e onde se procura. Mas é tão difícil, né?
beibe, 'liadoro' e tô aqui no colinho virtual, sempre, sempre.
Healing kisses

Juliana - Brasília disse...

Apenas para deixar registrado aqui a minha admiração por conseguir ser uma pessoa tão humana e tão sábia ao mesmo tempo.... gosto muito dos seus textos, dos seus fragmentos, em ti encontro-mo comigo, as vezes preciso de algo, uma reflexão.. e as encontro aqui!
Vc realmente deve admirável!
Um bj e sucesso sempre pra ti!

Anônimo disse...

Best regards from NY! » »

Luciana Freitas disse...

caiu bem como a chuva no rosto, esse texto. hoje. obrigada.

[estive no cinemathèque. fiquei emocionada com o derramar do poema.]

(www.meupianoemverso.wordpress.com)

Sue disse...

Você é linda e eu adoro tudo o que escreve!!!

Beijosss!