Páginas

terça-feira, agosto 08, 2006

COM-JUNÇÕES... **poema inacabado**


Foto: Tatas del GOSTs

COM-JUNÇÕES


Ainda...
O mesmo senão do quando
Sempre um talvez no tanto
Sempre um por quê no quanto.

Quando...
Da poesia já se sorveu tanto
Há latência da carne enquanto.

Portanto...
Sempre que o começo é o mesmo fim
Quase nunca é tanto
Nenhum tempo é quando.

Contudo...
A febre arde em mim:
Eminência da saudade_ única presença_
Essa ausência acumulada
No entanto.

Embora...
Tudo indique a ferida finda
Há que se cuidar das madrugadas
Que a trazem na insônia
Ainda.

Mas...
Conectados ou conectivos
Sempre surgem conjunções
pra nos dizer que há mais...
(Aliás)

Marla de Queiroz

*(aguardando a parceria do Marcão...)


5 comentários:

Shi disse...

Eu sou verdadeiramente adepta das conjunções, especialmente as carnais. Mas essas exigem presença que não seja a da saudade, né? :P Beijoca!

Mariana Braga disse...

Eu tenho um poema com preposições!
:)
Adoro!

Rayanne disse...

Com açúcar e com afeto
Poesia
Esse doce tão secreto.

Estrelas, florzinha.

Ju disse...

Meu Deus, q coisa mais linda! Marlinda =)

A imagem tb é muito doce e casou lindamente com o poema.

Beijos emocionados e salgados pela lágrima q desce...

Anônimo disse...

That's a great story. Waiting for more. » » »