Páginas

quinta-feira, março 16, 2006

Um Momento

Foto: Paulo Medeiros

" Era alguma coisa que seria amor ou não seria. Caberia a ela, entre milhares de segundos, dar a leve ênfase de que o amor apenas carecia para ser..."
( Clarice Lispector, quem mais?)

E há o momento. Há aquele momento em que na confusão da noite, no meio da festa, entre um gole e outro de cerveja, numa frase específica de uma música qualquer que diga exatamente o que se passou, há aquele momento único e quase solitário em que dançamos de olhos fechados com nossas dúvidas e dívidas de resolução. Há nisso tudo um momento ínfimo de silêncio interior onde oscilamos entre milésimos de segundos se escolheremos o sim ou o não, o ir-se ou deixar-se ficar, olhar firme ou desviar o desejo contido na retina, afastar-se pra olhar de longe ou deixar-se encostar e atravessar com o calor da vontade os tecidos do outro corpo num leve roçar de braços...

E quase sempre a escolha é a mesma: saimos correndo, querendo, resistindo, assustados demais com o que poderia acontecer de bom, revestidos com nossas capas de chuva, impermeáveis pra qualquer tipo de coisa boa que possa doer depois... Saimos correndo dramáticos, previsíveis, entorpecidos de álcool, solidão e nossas inúmeras lacunas acumuladas. Saimos correndo de medo, dentro da noite de frio espesso ou calor abafado, de desejo gordo, escolhendo o desencontro com uma expressão reticente no rosto e nossos corações tumultuados de ausências............................................................................................

3 comentários:

Mariana Braga disse...

Vc já leu para uma avenca partindo, Caio Fernando Abreu? Fala sobre o conceito pós-moderno de amor...
Lindo!

Meu verbo pra você hoje é: Ouse. Arrependa-se do que vc fez, não do que vc não fez.

Anônimo disse...

Your are Nice. And so is your site! Maybe you need some more pictures. Will return in the near future.
»

Anônimo disse...

Keep up the good work. thnx!
»